O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

ENERGIA SOLAR


os corvos já grasnam quando passam por aqui
com as asas ao sol como painéis solares

as cegonhas matraqueiam nos ninhos
ensaiando solos de percussão de amor

os pardais de telhado
longe ainda da febre de acasalarem
já se rolam na areia e cantam imitando os filhos que hão-de vir

os grilos mudam de asas
carregam baterias
para anunciarem não tarda
a Primavera

por magia do Sol
do lume que arde nele
que não só alumia
como vai nos aquecer

5 comentários:

João de Castro Nunes disse...

Juntemos nosso cantar
ao dos corvos a grasnar
a fim de se festejar
a primavera a chegar!

JCN

saudadesdofuturo disse...

... Só os grilos é que mudam de asas?... e nós?

Um beijo primaveril, Platero?

Anaedera disse...

E a lagarta,
vai na sua terceira mudança.

saudadesdofuturo disse...

Lindo! Anaedera!
:)

platero disse...

JCN
SAUDADES
ANAEDERA (estará correto assim?)

um abraço e dois beijinhos respetivamente a vocês

só deixar uma ingénua questão a Anaedera:
a mudar assim de pele, a tua lagarta não será política?