O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Quem dera bastasse sentir a farinha escorregar pelos dedos para saber a dose certa do açúcar.

31 comentários:

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paladar da loucura disse...

nem sei a cor dela!

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paladar da loucura disse...

eu não me escondo Fausta. E tu?

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paladar da loucura disse...

e hoje acordaste a filosofar - uma novidade!

baal disse...

fausta já percebi é o jcn que é o teu alter-ego (o teu ego alterado)

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paladar da loucura disse...

novo sentimento! hoje não paras de dar novidades Fausta. Afinal por que te escondes?

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paladar da loucura disse...

OH Fausta! Quem se anda a esticar e de há muito és tu!

baal disse...

não te estiques é outra conversa. é conversa de gente corajosa.

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paladar da loucura disse...

Ainda não percebi quantas guerras andas a perder. A ânsia de te sentires maltratada merece reflexão.

baal disse...

maltratados somos desde que nascemos.

paladar da loucura disse...

Mas a ânsia de continuarmos a ser, não.

baal disse...

retiro-me, mas esta da farinha mágica fica na história.

paladar da loucura disse...

pela dislexia da escrita? Boa noite, Baal. :)

baal disse...

explico-me: maltratados por deus, pelos nossos nunca.

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João de Castro Nunes disse...

No que deu a saga da farinha... louca! JCN

paladar da loucura disse...

JCN escrevi mesmo só para ti! Só aparecia a Fausta...
Afinal quem tarda aparece.

saudadesdofuturo disse...

A Fausta sorriu !!! Yes! É humana!

Ou mágica?

Que bela farinhada que aqui se arranjou! :))

É farinha de Carnaval, e a Fausta mascarou-se de simpática e gentil e boazinha...

Fausta. Queres ser minha Amiga?

paladar da loucura disse...

Ora aí está! É só o que a Fausta quer:Ser amiga. E tu, e eu e toda gente. E quem diz que não - mente.

baal disse...

retirei-me mas voltei só para explicar que não minto. ou será que menti?

paladar da loucura disse...

não dei pela mentira. pareces-me amigo

baal disse...

claro que sou e gostei da conversa. vamos acordar a fausta?

paladar da loucura disse...

hmmm, agora não que vou dormir :)
Beijinhos Baal.
E se todos se mostrassem e não se escondessem atrás pseudonimos?
E se todos se mostrassem e optassem pelo rosto descoberto?
Paladar da Loucura é o meu blog. Ethel Feldman é o meu nome. Que venha o seguinte coberto de coragem!

Bela disse...

Nestes séculos, o escritor tem mantido uma conversa com a loucura. Podemos quase dizer que o escritor do século vinte aspira à loucura. Alguns conseguiram-no, evidentemente, e ocupam lugares especiais na nossa consideração. Para um escritor, a loucura é uma destilação decisiva do eu, uma edição decisiva. É o submergir das vozes enganadoras.

Don DeLillo, in 'Os Nomes'

paladar da loucura disse...

prudente a pessoa que se defende mascarada. louca a que se mostra nua. nasce a arte e diz que tudo é mentira. Tiro a roupa e viajo.