O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sábado, 20 de fevereiro de 2010

"O problema dos políticos é o de mudarem o governo: o meu é o de mudar o Estado"

O problema dos políticos é o de mudarem o governo: o meu é o de mudar o Estado. Contam eles com o voto ou a revolução. Conto eu com o curso da História e a minha vocação e o meu esforço de estar para além dela

– Agostinho da Silva, "Cortina 1" (inédito).

2 comentários:

Maria Sarmento disse...

É inegável que o que visionava Agostinho, estava para além da história, mas tinha o curso da História do seu lado. O seu lado, penso, era o lado do saber "pensar" e do saber"fazer", um "político" diferente.

Via Agostinho mais simples o que os homens aspiram e precisam. Ser livres, de si mesmos, em primeiro lugar, e entre tanto, faça-se, sempre com o bem de todos, a ser cuidado como nosso. Um estado de liberdade e de aceitação alegre da vida, deixando-a mudar-se com ela. Dançar, como alguns preferem dizer... Ou não!

Um abraço, Paulo Borges.
Um gosto ainda estar por aqui!

João de Castro Nunes disse...

O mal do Augostinho foi ter feito manobra perigosa... ultrapassando o curso da História em contrafacção. JCN