O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

com a filosofia resisti para lutar

'o sofrimento sempre renovado dos homens o seu protesto recriado, a sua luta sempre renovada. tudo seria vão porque o sofrimento é eterno, e as revoluções não sobrevivem às suas vitórias. mas o sucesso de uma revolução só reside nela própria, precisamente nas vibrações, nos enlaces, na abertura que deu aos homens no momento em que se fazia.'
gd

4 comentários:

Magno Jardim disse...

Agora

João de Castro Nunes disse...

Triste consolação, pá! JCN

Magno Jardim disse...

Amanha é também o dia do outro,
O do agora outra vez á falta de revolução..

baal disse...

triste consolação é poesia (sonetar),(se fosses neruda).