O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 28 de fevereiro de 2010

alegre ceifeira




"Ouvi-la alegra e entristece,
Na sua voz há o campo e a lida,
E canta como se tivesse
Mais razões para cantar que a vida.

Ah, canta, canta sem razão!
O que em mim sente está pensando.
Derrama no meu coração a tua incerta voz ondeando!

Ah, poder ser tu, sendo eu!
Ter a tua alegre inconsciência,
E a consciência disso! Ó céu!
Ó campo! Ó canção! A ciência!

Ela canta, pobre ceifeira,
Julgando-se feliz talvez;
Canta e ceifa e a sua voz, cheia
De alegre e anónima viuvez,

Ondula como um canto de ave
No ar limpo como um limiar,
E há curvas no enredo suave
Do som que ela tem a cantar.

Pesa tanto e a vida é tão breve!
Entrai por mim dentro!
Tornai Minha alma a vossa sombra leve!
Depois, levando-me, passai!"

Fernando Pessoa

14 comentários:

João de Castro Nunes disse...

Fernandices... para ceifar o tempo, entre dois bagaços de má qualidade! JCN

baal disse...

e que bem cantam as ceifeiras, eu sei porque as ouvi e ceifei (tentei) ao seu lado.

João de Castro Nunes disse...

Ceifaste... e não cantaste, ó pá? Que diria o Pessoas... se tivesse o mau sestro de te escutar! JCN

Fausta disse...

Eu, quando canto, pareço um rouxinol.

baal disse...

espero que não estejas prisioneira do imperador da china.

ejá agora jcn as artes não são cá do meu lado. poesia, música, dança é tudo a mesma coisa. a fuga que demonstra falta de coragem para enfrentar a injustiça.
à luta

baal disse...

um cante de ceifeira.

'ceifeira que estás à calma
à calma ceifando o trigo
ceifa as penas da minha alma
ceifa-as e leva-as contigo'

(para a fausta)

João de Castro Nunes disse...

Poupa-me às tuas cantorias! Bastam-me as do BAAl à compita com as ceifeiras, em que o Pessoas certamente se inspirou sem nunca as ter ouvido... ao natural. Quando muito... pela rádio sob a direcão do Valadão. Que nacionalistas... eles eram! Viva António Ferro. E o Almada também. Que corja! JCN

João de Castro Nunes disse...

Se não gostas de musiquices, por que te sais com esse "cante de ceifeira" do tempo do "verde gaio" da era salazarista?!,,, Que incoerência: uma no cravo outra na ferradura. Se o Jiosif ainda vivesse, ele te ajustaria as contas, pá! JCN

Fausta disse...

baal, um dia depeno-te!

JC falas assim porque nunca me ouviste cantar... Um verdadeiro passaroco de catedral!

E parem de falar em política! Arre! Que enjoativo.

baal disse...

aguenta fausta. a vida não é fácil.
e eu não tenho penas. não sou um papagaio.

Fausta disse...

Nem eu. Pavão!

João de Castro Nunes disse...

Pavão, parvão ou parvalhão? JCN

TVcabo disse...

João!

baal disse...

de castro