O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

RESPIRAÇÃO

a quatro ou cinco
quilómetros de distância
a Estrada
antes que mude
a cor da luz que gera
a madrugada

começa
a respirar

6 comentários:

baal disse...

uma estrada que respira é uma estrada com finalidade. mesmo que seja só um caminho.

platero disse...

É verdade, aí pelas cinco da manhã
começa a sentir-se o arfar do tráfego madrugador

abraço

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
platero disse...

O TANAS

platero disse...

Caro senhor

não estou para aturar o seu estropiamento mental.
Quer o quê? que eu abandone este espaço - que não é menos meu do que do senhor?
Quem se julga? Um intocável, um inacessível, um super-intelectual para quem os outros não passam de desprezíveis indigentes?

A ASMA, seu iluminado? Fique a saber que não me vou embora nem aturar passivamente as suas insolências

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.