O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

viva a revolta

eram três. três pescadores de setúbal.resta um. uma esposa enlouqueceu.um morto, outro desaparecido, o último resgatado. eram três foram para o mar sem medo das vagas de 5 metros. medo temos da falta de alimento para a família. eram três... a dois o capitalismo matou-os.

12 comentários:

platero disse...

magnífico poema, Baal
inegualável capacidade de ficcionar

grande abraço

Julio Teixeira disse...

Bela sacada.
Pena que todos nós somos culpados.

Não adianta vociferar e levantar bandeiras que até para balançá-las contamos com o vento.

Lamentam-se os mortos tragados pelas ondas criadas pelo capitalismo.Lamenta-se de coração.

Mas condecore-se Ahmadinjad pelos mortos em protesto nas ruas!

Ah se a fome do mundo fosse saldada com falácias e protestos!

Houvesse ao menos caráter para entender que à natureza nada domina!

Nem o ódio!

Nem a injustiça gerada pela inveja que cega.

Mas como também o capitalismo inventou a pesca
recentemente a partir de Keynes,
vocifere-se ao menos contra ele
e contra o Cristo que também pescou!

Ah se houvesse um mínimo de caráter num protesto
de um franco-atirador!

Mas o mundo inteiro precisa comer e não é com falácia movida de ódio e a inveja que se produz alimentos para saldar a fome do mundo, que tem pressa, pois a fome não pode esperar.

platero disse...

Ahmadinjad mata infinitamente menos
(mas mesmo assim em excesso)do que russos e americanos quando financiaram genocídio criado pela Guerra Irão-Iraque
Já esqueceu? Ou é tão jovem que nasceu depois disso?

abraço (sem ÓDIO)

Julio Teixeira disse...

Não sou tão jovem nem esqueci.
Mas a questão em foco é ocapitalismo e a
pesca.
E eu comparei as vagas criminosas com capitalismo...
Ahmadinjad nem preciaria matar ninguém: pelo fato de existir e defender o que defende já nem vale o ar que respira.
Mas ele quer apagar Israel do mapa e só essa intenção! Bem(...)

Sem ódio mas com realismo.

Existe apenas uma humanidade.
Tentar dividi-la é um meio nefasto e faccioso de tentar dominá-la.

Mas, cá pra nós: culpar o capitalismo pelo acidente no mar é no mínimo de uma boçalidade mosntruosa.
E de um mau caratismo inconfessável.

E eu nem sou capitalista nem nada!

Mas vejo com meus olhos, ouço com os meus ouvidos e não desejo varrer do mapa nenhuma nação onde há gente, animais, vegetais e a vida prospera e cria as suas culturas.

Quem vê a culpa no outro e não assume a sua parte, é porque se julga um especial injustiçado, quando na verdade é ele o injusto consigo mesmo, por não se ver no outro nem reconhecer-se um fraco... seja rico ou pobre, gordo ou magro, comunista ou capitalista, negro ou barnco.

Essa é a verdade.

Mas ainda existe a inveja de muitos capitalista que se tornaram ricos graças às conquistas pessoais.
E esta cavalgada rumo ao alvo que cada um determina é uma tônica universal.
E assim são também as diferentes nações, divididas em ricas e pobres.

E os mais fracos ficam para trás mesmo, em todos os ramos da atividade humana.
E não há demerito nenhum nisso.
Esperar milagres ou esmolas é que gera esse desconforto que vai cerscendo e às vezes se transforma numa inveja inconfessável, mas revelada em cada palavra.
Nem todos nascem para ser Pelés...
kkkkk o verdadeiro, não uma aberração que andou por aí com o esse nome.
Fraterno abraço

baal disse...

júlio teixeira consegue alterar a verdade todos os dias? belmiros e quejandos gozam a vida enquanto outros sofrem. o capitalismo fez do prazer o seu caminho à custa dos povos. o pior cego é o que não quer ver. desemprego, tristeza, eis o nosso povo. um destes dias será diferente.

Julio Teixeira disse...

Mas além do desmprego, o pouco emprego que ainda há, quem o fornece?

Não mudo a verdade, não.
Não concordo com as injustiças, mas se há hoje grandes conquistas é graças também ao capitalismo.

E onde ele foi banido, veja Cuba?
Uma tragédia.
A Venezuela pra isso caminha.
Não existem humanidades... Apenas Uma Unidade Humanidade.
Culpar o outro é fácil.
Fazer cada um a sua parte é que são elas.
Onde o Comunismo reinou e reina, mesmo disfarçado de socialismo é uma tragédia.

Criam inimigos fantasmas para justificarem as suas misérias mentais e desejo ardente de se tornarem donos até da alma das pessoas, e fracassam.

Aí a culpa é do Império Americano.

Mas se é um Império, ninguém pode negar que foi construído com muito trabalho, tecnologia, unidade nacional e muitas outras coisas, inclusive negativas.

Mas do outro lado, já que insistem em dividir o mundo em dois, é muito mais cruel e celeiro de déspotas do que o outro democrático, onde há um minimo de liberdade.

E qualquer um pode crescer, em todos os sentidos.

Não estou contra ninguém, mas não posso ignorar os fatos.

nem justificar os fracassos jogando a culpa nos outros.

E eu também sou pobre.


Mas não jogo a culpa de minha pobreza em ninguém.

baal disse...

ó júlio se uns são ricos e outros pobres a culpa é de alguém. os 'coitadinhos' dos capitalistas só sobrevivem porque os pobres não lutam.

Fausta disse...

Ah! O canibalismo!

Isabel disse...

Este texto comove-me e admiro não a citação que fazes de um livro escrito por outros, mas a citação daqueles que escrevem, com as mãos e o corpo na matéria da vida, o livro da existência. Porque não há apenas o Livro dos Mortos...

paladar da loucura disse...

de medo sofremos e deixamos o companheiro ser crucificado. - RUA!
de medo sofremos e mal fazemos o enterro daquele que sozinho ameaçou um não e foi colocado na RUA!
com medo baixamos os olhos envergonhados do medo que temos.
RUA! Grita o sub-director. Grita a todo vapor. Com medo baixamos os olhos do medo que temos.
O João morreu ontem. Matou-se. Diz a mukher que foi de tristeza. Morremos todos com ele envergonhados.
O capitalismo Baal, entranhou-se no corpo, instalou o medo e nós morremos todos os dias ruborizados, tamanho é o nosso medo!

Harkshis disse...

22 de Junho de 2006

"Som dados do relator da ONU para o Direito à Alimentaçom, o suíço Jean Ziegler. Apesar de existir possibilidades reais de alimentar até 12 bilions de seres humanos (dobro da populaçom mundial actual), 100.000 pessoas morrem cada dia no Planeta por falta de alimentos, no que constitui umha prova inapelável da injustiça e desiguladades que caracterizam o capitalismo como sistema mundializado."

Guerra Civil Russa 1918-1922

"Dmitri Volkogonov afirma que durante a guerra civil Lenin ordenou a seus comandantes o fuzilamento de transgressores por uma ampla variedade de crimes - 50 mil a 200 mil execuções sumárias de "inimigos da classe" durante o regime de Lenin - como participação em conspiração, resistência à prisão, ocultamento de armas, desobediência, comportamento atrasado, atuação descuidada e falsos testemunhos, contribuindo, com suas ordens e instruções, para exacerbar a crueldade."

diferenças;

baal disse...

o livro da existência isabel, o livro da existência é destruído todos os dias nesta vida que nos roubam. estou de acordo contigo paladar, baixamos os olhos e caminhamos esquecidos de que um dia fomos corajosos.