O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Por que não olhas pelas criancinhas, pá? Por que não estás onde devias estar? Por que não respondes quando te perguntam? Deus, que conversa vem a ser essa de andares para aí a dizer que uns se salvam e outros não? Quem te fez assim tão ventoso que por vezes nem te escuto? Responde, pá! Inventaste os super-heróis para fazer serviço extra? Mandaste os poetas para a terra despachar certos assuntos que não ousas falar? Deus, e o amor? Responde, pá! Serás tu o nosso Deus bandido? Será o teu silêncio a maneira romântica de seres alguém? No fundo admiro-te, pá, porque, embora triste e olhar distante, mãos deprimidas, eu sei que tens as costas largas.

32 comentários:

João de Castro Nunes disse...

Por que não perguntas, pá! ao Dalai-Lama e quejandos intérprestes divinos? Não sabes tibetano? Aprende chinês... que também serve. Está na moda, aliás. Para o que te havia de dar, pá! JCN

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
baal disse...

e tu fausta porque te esticas? se todos sabemos que és uma menina mimada.

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria disse...

Vou meditar...

Queres vir comigo, Fausta?

Sorriso.

Magno Jardim disse...

Para estar onde devo estar, a caminhar, caminho. Quando me perguntam, cabe-vos a vós descobrir a resposta, Salvam-se os que tendem fé. Ouveis o som do vento, não ouvireis nada mais.
Deus é o nada que é tudo, se creis que sou, sou. Senão sois vós e tendeis que fazer nada quanto a isso.

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Magno Jardim disse...

Uma num jardim, uma numa existência, uma no universo.

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Magno Jardim disse...

A eterna...

Magno Jardim disse...

A rosa do encoberto.

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
baal disse...

desvela-te fausta. precisas de ajuda para colocar o patrão na ordem?

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Magno Jardim disse...

A Vida que é a Rosa,
A Rosa que é o Cristo,
A Rosa do Encoberto.

baal disse...

da rosa sabemos a ausência, um dia caminharemos todos juntos.
um (a)braço fausta. e não te esqueças que 'atrás dos tempos vêem tempos e outros tempos hão-de vir'

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Magno Jardim disse...

Tempo foi. Nem primeiro nem segundo
Tempo em que em eras vem,
Eras sobre eras se somem.

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Magno Jardim disse...

Da descoberta ir á procura.
É um mito brilhante e mudo.
Surges ao sol em mim e a névoa finda.

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Magno Jardim disse...

Voa livre
Como um pássaro.
Cheio de tudo
Vazio de nada.

Por caminhos que são deus
inventa caminhos teus.

Harkshis disse...

sem tìtulo, 'auto-(re)tra(c)to'?

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Julio Teixeira disse...

Belíssima sequencia.

Em frente!

Magno Jardim disse...

É a Hora!