O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

‘HAI’

A vida é assim
feito um kanji
que aprendi no passado

suspiro
antes de escrever ‘HAI’
Ganho o ar
antes de o expirar
Nesse ir e partir
a vida existe
do lado de lá

não sei
se é mentira
o que me lembro
de outrora

em kanji desenho
a montanha

num canto abrigado
descanso

enquanto respiro
a vida existe
do lado de fora

tão breve te sonhei
que cedo parti
sem sentir teu braço
no meu abraço

desenho
um kanji inventado
enquanto
a vida existe
dentro e fora
do arame farpado

Num longo eco
Descanso
meu nome

Se tudo é mentira
Enquanto verdade
Invento o silêncio
Enquanto existo

Posso agora entender-me
Em japonês, francês ou chinês
Aprendi o alfabeto
do meu avô judeu

Calei minha dor
Rezei ao senhor
num terço budista

Pedi
a quem me inventou
Que ...

se esquecesse

Nada é verdade
Quando
tudo existe

Enquanto
silêncio - existo

1 comentário:

paladar da loucura disse...

Texto e desenho de 'paladar da loucura' (www.paladardaloucura.blogspot.com)