O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

ELOGIO DOS VÍRUS

Escrevi em tempos que a "genialidade é uma doença". O que me ocorria pensando na altura no
nosso Fernando Pessoa

Ontem ouvi quase confirmação do biólogo Luis Villanueva,
afirmando sua convicção de que
:
1 - os VÍRUS, que parece nem são considerados seres vivos, terão estado na origem da vida

2 - terão sido os Vírus os grandes responsáveis pela "alienação" do homem da Família dos Símios

3 - os vírus continuam a ser responsáveis pela existência e bom funcionamento da placenta. Sem
eles não haveria VIDA. Não só no homem como nos outros animais

4 - número considerável de investigadores biólogos prossegue estudos, com resultados
promissores, com vista a confirmação da hipótese Villanueva.

para mim - livre de pensar e me exprimir sem o risco de influenciar negativamente quem
quer que seja - acrescentaria agora, na esteira do que ouvi de Villanueva, que a genialidade
é um estado patogénico de origem viral.
Corrigiria então para
:
A genialidade é uma gripe - com picos de criatividade que podem levar à ocorrência de
episódios febris próximos do delírio

5 - o advento do tão desejado "Homem Novo" só pode vir a ser mutação genética obra de VÍRUS
- para retomar pensamento científico de equipa próxima de Villanueva

11 comentários:

Sereia* disse...

Querido Platero,

vi ontem um documentário na rtp2 exactamente sobre este tema dos virús como elementos fundamentais para a condição de ser vivo, presentes desde a formação da placenta na gravidez.
Os cientistas estudaram ovelhas e mulheres... e não é que os virús estão SEMPRE presentes?

;)

platero disse...

SEREIA Amiga

entendes então que não era tão grande tonteria eu dizer que "a genialidade é uma doença"
enfim, para entender minimamente o meu "Elogio dos Vírus" seria conveniente que, como tu, se tivesse visto o documentário da 2.
Aceitarás, então, que a genialidade pode ser uma virose?

beijinho

baal disse...

é terrivel mas somos vi(r)ulentos desde que nascemos, e ainda por cima umas ovelhinhas. contradições.

abraço platero

Julio Teixeira disse...

De algum modo, enquanto virus invasores dão um baile nos humanos e quase sempre vencem.
Ainda há pouco surgiu o da Gripe Suina, e logo fez a mutação abrandando a sua fúria, para não matar o hospedeiro com o qual morreria também.

Mas, brincando um pouco, como diz um amigo meu, o mais feio dos virus é virus debruços... rsrsrsrsr

João de Castro Nunes disse...

A ser assim, que raio de VIRUS afectou o "nosso" Fernado Pessoa, que nem à força de aguardente conseguiu fazer-lhe frente?... Um VIRUS do carago! JCN

João de Castro Nunes disse...

Viva a genialidade viral! Deus me dê muita e boa! JCN

platero disse...

o combate ao vírus com bagaço -apontado ao Pessoa, JdeCN- já é prova
insofismável de genialidade
Gostei

paladar da loucura disse...

A genialidade ser uma virose, se entenderes amigo Platero, como um momento único de verdadeira lucidez! Virose se todos tomados pelo mesmo estado alterado de consciência/tão próximos da verdade, que tomados por loucura.
Sem vírus não existimos com eles morremos. Alguns são quase moralistas, parecem juízes do suposto bom comportamento, amigo Platero!
beijo

João disse...

"Pensar. E se o pensar fosse uma doença, mesmo que dela resultasse uma pérola. Vergílio ferreira."

platero disse...

João

Vergílio na linha de Villanueva.
Equipa de biólogos leva ao extremo de afirmar que o próprio apetite sexual
é fruto de atividade vírica.
E revela ainda que animais monogâmicos sujeitos a tratamento
anti-viral específico passam à poligamia

pela minha parte, reconheci-me feliz por ter pensado, antes de saber de Villanueva e colaboaradores, que a genialidade é uma doença

abraço, João

João de Castro Nunes disse...

Doença... que se agrava com a bagaceira, como terá sido o paradigmático caso do Pessoas, que via tudo a multiplicar, a começar por ele próprio. JCN