O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


terça-feira, 23 de junho de 2009

deixar de ser

'mas o neoplatónico esforçar-se por tornar-se aquilo que deus é - a meta da sua actividade é deixar de «ser, de ser entendimento e razão.» o êxtase e o arroubo constituem para o neoplatónico, o supremo estado psicológico do homem. semelhante estado objectivado como ser é o ser divino. assim, deus procede apenas do homem, mas não ao invés, pelo menos originariamente, o homem a partir de deus.... com efeito, onde é que este ser sem dor e sem necessidades pode ter o seu fundamento e origem senão nas dores e necessidades do homem? a miséria da necessidade e da dor corresponde também o sentimento da beatitude. só em oposição à infelicidade é que a beatitude é uma realidade. só na miséria do homem tem deus o seu lugar de nascimento'
ludwig feuerbach, princípio da filosofia do futuro, edições 70

18 comentários:

Mefistófeles disse...

"Deixa-te disso, que só te faz mal!
É miragem sem vida, ídolo fatal.
Não é bom ter de o encarar,
seu olhar fixo o sangue paralisa,
para em pedra quase nos tornar:
sabes, é claro, da história de Medusa."

Fausto

Proctofantasmista disse...

ah ah ah ah ah

Ah Ah Ah Ah Ah

AH AH AH AH AH


Mefistófeles (eco de Fausto)

No consultório disse...

Então? Não há relatório psicanalítico? Dei montes de pistas!Profundas se olharmos para o fundo! Dá para aplicar a n situações.

fausto disse...

Minha querida, o que de entendido é chamado
É só vaidade e vistas estreitas.

Medusa disse...

Perseu? Ó Perseu! Ai de ti que te aproximes de mim! Hum... Qual será a cabeça que rolará?

Siebel disse...

"Onde está o malandro? Se o apanho,
Não vai sair daqui como nasceu!"

Fausto

Na colina das rosas disse...

Os fósseis de amonite são os mais comuns!

Em Farsália disse...

Um pouco de Pauleontologia:

Ouvi dizer que o herbívoro Ultrassauro era da altura de um prédio de seis andares.

(in Tiranossauro RRRRRex)

letra azul disse...

baal, auguenta-te à jarda...
a parvoice naõ tem idades nem ideai

Anónimo disse...

"a miséria da necessidade e da dor corresponde também o sentimento da beatitude"

"só em oposição à infelicidade é que a beatitude é uma realidade. só na miséria do homem tem deus o seu lugar de nascimento'

concordo!é a questão da existência do mal...pensemos na fome, guerra, miséria, maus tratos, abandono, pedofilia, etc...pk existem? como pode um Ser ominopotente, omnisciente e omnipresente tolrá-los? pk apenas deu livre-arbítrio ao homem e este trincou a maçãzinha e 'danou-se' p'ra vida eterna?

desculpem, mas hj estou assim...eu quero crer q td é Amor mas a vida é bem 'lixada'...

Baal, um sorriso de boa noite.

e já agora, Paulo, se pudesse explicar melhor a questão do zazen para ultrapassarmos este samsara e do 'vazio' budista, ficar-lhe-ía mt grata!

namastê

frag

cajoince disse...

fragmentus, até tu já duvidas do amor universal, estás a entrar no bom caminho, a vida é luta (não quero dizer que estavas no mau)
letra azul, com a velhice perceberão, a culpa é das facilidades que têm, coitados nem pensar, mais que não seja para não pensar, querem.
vou descansar porque as cataratas e o reumático dão cabo de mim.
saudações materialistas

baal disse...

estou mesmo velho (ainda é cedo, ou já é tarde,) para o tinto. cajoince é a verificação de palavras.
baal

Mãe-Cepa de Videira disse...

Gosto tanto da vossa forma de falar. Sinto-me bem e compreendida.
Também eu, velha, sofrida, cheia de moscas na vista e corcunda me arrasto pela vida à procura dessa essência vegetal, desse cálice de sangue, desse elemento de sacrifício entre os hebr eus. É tradição bíblica e símbolo da alegria, impregnando de beatitude a miséria. Para além de uma pessoa se tornar ominopotente, torna-se omonisciente e onimopresente!
À vossa! Que é logo de manhã que se esquece o romático!

Mania de complicar disse...

"Eis o nome secreto da Manteiga,
língua dos Deuses, umbigo do imortal.
Proclamemos o nome da Manteiga,
apoiemo-lo com as nossas homenagens neste sacrifício!
Como nos rápidos dum rio
Elas voam vertiginosas, ultrapassando o vento,
os juvenis fluxos de manteiga que incham as vagas,
como um corcel bravio que rompe as barreiras...
Os fluxos de manteiga acariciavam as achas em chama.
O Fogo acolhe-os, satisfeito."

(Rig-Veda 4, 58, VEDV 250-251)

PS: Tradução - estou a fazer uma torrada!

K disse...

as baalidades de feuerbach é o que toda a gente pensa... logo mal

baal disse...

mais uma baalidade
'não queiras ser filósofo na discriminação quanto ao homem;sê apenas um homem que pensa; não penses como pensador, isto é uma faculdade arrancada à totalidade do ser humano real e para si isolada; pensa como ser vivo e real, exposto às vagas vivificantes e refrescantes do oceano do mundo' feuerbach

'o mundo é uma banalidade, a felicidade uma baalidade' baal

frAgMenTUS disse...

'o mundo é uma banalidade, a felicidade uma baalidade' baal
gostei dessa, Baal :)

...*...

acerca destas tuas preocupações de teor político-social, já escutaste a última música do boss ac - 'qual deus?'

...*...


cajoince:
acredito no amor universal but sometimes...life sucks :/

namastê

obal disse...

O bal é uma obalidade