O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quinta-feira, 18 de junho de 2009

Budismo e Meditação em Leiria - 19 e 20 de Junho

11 comentários:

Anónimo disse...

entrada livre?

dois cliques disse...

amplia a imagem e lê tudinho...

Gestora financeira disse...

Entrada livre? Nã querias mai nada!
5 euri!

Z disse...

mais do que isso gastam em futilidades

jumenta disse...

Que mentira ofensiva!Comprando coisas, uso-as. Onde é que uso as ideias?

verónika disse...

Professor Paulo Borges,

Se eu participar, posso tornar-me como esta flor e com esta ambiência tonal, amarelo suave? Não sei se me quero libertar! É um problema. Parece que me sinto mais atraída pelas tulipas negras e as atmosferas livres e selvagens.

Intelectualóide disse...

Não adianta! Não percebem mesmo...

Paulo Borges disse...

Participando pode tornar-se livre e selvagem, independentemente da cor.

livresca disse...

O nada nunca teve cor. É um elemento absorvente que incria.

Paulo Borges disse...

Lamento o erro, pois não publiquei a versão definitiva do cartaz. A entrada na conferência é obviamente livre.

Mestre disse...

Mestre.
Lutar a ver quem dá mais?