O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sábado, 13 de junho de 2009

(entre silêncios, vinhedos, brumas e o "futuro ao longe"... caminhamos)
- caminho português de santiago - galiza

Para comemorar o Dia Mundial do Ambiente, celebrado no dia 05 de Junho, foi emitido em vários suportes (cinemas, circuito de dvd, tv e internet) o belíssimo documentário HOME, O Mundo É A Nossa Casa.
HOME, é um filme-documentário da autoria do realizador francês Yann Arthus-Bertrand. É constituído por paisagens aéreas do mundo inteiro e pretende sensibilizar a opinião pública mundial sobre a necessidade de alterar modos e hábitos de vida a fim de evitar uma catástrofe ecológica planetária.Se alguém quiser ver eis aqui o link (com narração em português): http://www.youtube.com/watch?v=tCVqx2b-c7U

4 comentários:

Nuno Maltez disse...

De novo uma fotografia lindíssima. Certa vez em Espanha, numa aldeia do norte, vi um pequeno eremitério, na noite escura e plena em nevoeiro, lá no cimo de uma enorme montanha escarpada. A fotografia que postou recorda-me essa imagem sublime.

Lapdrey disse...

Este documentário é uma admirável obra de arte que conta, para todos os nossos sentidos, um pedaço do princípio, origem, fonte e raiz de todos de nós, humanos e não-humanos, habitantes deste planeta.

Um documento, cara Viver de Improviso, que bem pode ser o revisitado mantra visual do nosso respeito por nós mesmos: pela casa, que é nossa; pelo "ethos", onde habitam em nós alma e espírito; pela Terra, terra nostra, ventre e útero do magma e do barro de que somos feitos - ela, mão e mãe que nos sustenta os passos e permite que exerçamos o sublime ofício de ser ... tudo.

Queira cada um de nós ser templo da glória duma tal honra: de estar vivo e de ser homem ...

Gratíssimo!

Madalena disse...

Não conhecia. Vou ver hoje.

soantes disse...

Uma foto cheia de sentidos e prenhe de beleza.