O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sexta-feira, 5 de junho de 2009

o homem, esse animal maravilhoso

nada me move contra a ideia do paulo, mas gostava de salientar.

'todos os progressos na cultura, mediante os quais o homem faz a sua formação escolar, têm o propósito de usar esses conhecimentos(kenntnisse) e aptidões adquiridos para o uso do mundo, mas, neste mundo, o objecto mais importante a que ele os pode aplicar é o homem, pois ele é o seu próprio fim último'
immanuel kant

3 comentários:

frAgMenTUS disse...

o mal reside precisamente nisso, nesse "uso do mundo" em abordagem vertical, dicotómica, racional em vez de horizontal,holística, panteísta...

Baal, vou ficar como leitora, já estou farta de me ver por aqui; grata por seres um interlocutor engraçado.

namastê

Paulo Borges disse...

O homem-Uroboros, a amar o seu próprio umbigo! Leia-se Sampaio Bruno, que reduz estas futilidades a cinzas!

Zumbido disse...

Maravilhoso, o homem só o é quando contempla e respeita a maravilha de tudo. E aí já é mais do que homem. Aí é Maravilha.