O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quinta-feira, 11 de junho de 2009


6 comentários:

saudadesdofuturo disse...

Profundamente bela e misteriosa esta imagem onde não me importaria nada de, num improvisado voo, sobrevoar e poisar de improviso...
Sobrevoar tais céus; seria como engolir na garganta o nó de um improvisado fado, um lamento de céu nas equilibradas nuvens a morrer no horizonte daquele amarelo morrente de todos os desassossegos...

Belo, belo. Parabéns! Gostei!
Guardo essa imgem no coração.
Quem sabe escreverei sobre ela e nela misturarei cores que o silêncio da imagem não perdoará à fala... mesmo que adoçada ou sussurrada, sobre as brisas mais leves do mais leve ar...

Agradecida.

viver de improviso disse...

olá 'saudadesdofuturo', belas palavras as suas, eu sabia que não sería preciso "apôr" nada à foto porque alguém o faría por mim, e melhor. fique à vontade para escrever nela, sobre ela, para ela... é minha, no sentido de que foi captada por mim, num final de inverno ainda presente, aqui da janela da sala, fique à vontade. o que os meus olhos viram, também outros o podem ver. é sua por isso também.
abraços fraternos.
elena

Paulo Borges disse...

Bem vinda, Helena! Foto grandiosa como a visão que manifesta.

Lapdrey disse...

Iluminante e muito "activante" foto, por certo.

Geografia interior, peregrinação dos sentidos: êxtase do (in)vísível...

Viva(-se) o viver de improviso!
Dá boa saúde, e aconselha-se...

soantes disse...

Que bom trabalho. O belo e o bem juntos novamente. Parabéns.

Tamborim disse...

Magnífica, belíssima, inquietantíssima, íssima, íssima...