O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

repto pantagruélico

Melhor que o Camões, mais zarolha que o Bocage
A maquineta dos sonetos não agrada a toda a gente:
Antolha os sonetos melhor que qualquer um
Mas fá-los com a vinagreta de quem age

Com um azedume muito egótico e doente
Que faz do prazer de cantar prazer nenhum
E com o lume do triste ressentimento
Por mais que refine quadras e tercetos

Serve apenas um pobre caldo requentado
A quem procura o mais nobre sentimento
Burilado na filigrana dos sonetos

O que poderia ser uma exaltação
Da poesia e do seu mais alto firmamento
É apenas um enjoo e uma indigestão

16 comentários:

João de Castro Nunes disse...

Esta pedrada... não atingiu as rosas: passou por cima! O que faz a inveja! JCN

João de Castro Nunes disse...

Então vossemecê teve o desplante de "apagar" o meu comentário, à sombra certamente da tal democracia "moderna" que vossemecê quer implantar na sua escola... sem portas nem janelas! Pois fique sabendo que se vossemecê, até ao fim da tarde, não o repuser, sou eu que o coloco em forma de post. explicitando as razões. Conservo o respectivo texto. Não perca as estribeiras, homem! E, sobretudo, afine o cavaquinho! Poeticamente, vossemecê não dá uma para a caixa: só pífias! JCN

Paulo Feitais disse...

O sr. JCN tem que saber que há limites. Não lhe admito que fale das minhas alunas ou dos meus alunos. De mim pode dizer o que quiser.

João de Castro Nunes disse...

Lembro-lhe que foi vossemecê que começou por falar das suas aulas, envolvendo colegas e alunos, sem aliás se eximir de falar dos meus!
Avive essa memória, desenferrujando a maquineta! A minha advertência... mantém.se de pé. Se não quer comentários... retire o provocante e descabido post. Para tudo... há limites, senhor Feitais! JCN

Fausta disse...

JCN! Que saudade! Fiz-te um belo soneto e enviei lá para a tua terrinha. Gostaste?

Que bom! Voltaram a abrir a porta à bicharada! Estou tão contente! Palavra que estou!

João de Castro Nunes disse...

Estamos todos! JCN

João de Castro Nunes disse...

Pois claro, Fausta: agora... sob o signo do partido dos animais ou pelos animais, a bicharada entra toda, indescriminadamente. Uma alegria! JCN

Fausta disse...

Até parece que me ouves!

ANIMAIS AO PODER!

Não me tenho em mim com tamanha alegria... falar contigo outra vez... Oh!

Paulo Feitais disse...

Pronto, caro JCN, estou consumido pela inveja.
Gostava de conseguir escrever sonetos muito melhores do que o Camões, o Bocage, o Antero e o lingrinhas aqui do meu bairro que, quando lhe pagam uns copos, canta uns belíssimos fados.
Tenho o seu post como refém. Caso o caro JCN publique um soneto melhor que os poetas aqui referidos, a beldade zarolha da fotografia vai degolar o post sem dó nem piedade (a Dó e a Piedade foram fazer figuração num filme do Tarantino).
Tenho dito.
Mas para provar que não estou a brincar, a beldade cortou a cauda ao post e eu vou publicá-la aqui:

"JCN"

(Pede-se à pessoas mais sensíveis para não lerem este comentário até ao fim).

João de Castro Nunes disse...

Será o lingrinhas aí do teu bairro... que recita ou canta, por nuns copos, os teus mastigados poemaços?!... A não perder! JCN

João de Castro Nunes disse...

Parece que vossemecê, senhor Feitais, se acagaçou! JCN

João de Castro Nunes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Fausta disse...

JCN. Põe a tua maquineta a funcionar e faz-me um poema. Deixa lá a zarolha. Ela é feia. Vou pôr uma fotografia minha no Ferrolho para te inspirares.
Estou tão feliz!

João de Castro Nunes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
João de Castro Nunes disse...

"Porra, senhor abade!" JCN

João de Castro Nunes disse...

O "caso" não morre aqui: há outros blogues, à minha disposição! JCN