O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


terça-feira, 15 de dezembro de 2009

pré-NATAL


começamos a expirar
desde que respiramos

pela primeira vez

40 comentários:

Paulo Borges disse...

A sabedoria habita em si, caro Amigo.

João de Castro Nunes disse...

Platerescamente... salomónica! JCN

platero disse...

Não diria tanto, Paulo

A ideia surge a partir da noção
(não sei se correcta)de que a respiração é uma combustão. Lenta
mas combustão.
Noutra versão - no meu
"h- ortografias" até vou mais por aí
:
começamos a arder desde a primeira vez que respiramos.

de resto, não se trata tanto de sabedoria quanto de não ter medo do ridículo. E isso também o devo muito a este espaço e ao seu fundador e guardião

abraço

baal disse...

se pensarmos na vida como uma condenação respiramos pela primeira vez quando 'expirarmos'.
saudações

platero disse...

caro Baal

eu não sou filósofo. Nem tenho boas relações com a Disciplina. VCs têm sempre muito mais argumentos para especular:Expirar será mesmo o princípio?
Se assim for, nada mais certo

se ninguém se preocupa
com as dúvidas que tem
como vai prever à lupa
dúvidas mais do além?

Bom Natal, entretanto

João de Castro Nunes disse...

Em toda esta confusão de narizes entre "inspirar", "expirar" e "respirar" (e porque não "transpirar"?), o BAAAL é que disse bem: indo desta para melhor, vamos começar a respirar com os entes celestiais, bebendo da sua bebida e comendo da sua comida. Como diria Socrates, seja quanto antes! Espera-nos o velocino de ouro! Remar, companheiros! JCN

baal disse...

boa jcn e platero, mas não posso deixar de aremessar a respectiva:
se a filosofia é especulativa, convenhamos meus caros que se poderia disser que a poesia é 'junctativa' (mera junção de palavras, sem objectivo definido e sem compreensão possível na maior parte das vezes)
boas festas

João de Castro Nunes disse...

Quem tem dúvidas espere
para as tirar na outra vida;
enquanto nesta estiver(e),
vá preparando a partida!

JCN

João de Castro Nunes disse...

A Poesia, ó BAAL, não é para se compreender, mas para nos elevar!
"Quam terra sordet!" Sabes... quem disse? JCN

João de Castro Nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fausta disse...

Se estivesses num campo de concentração como eu, a fazer trabalho escravo gratuitamente com a cara pintada de preto escuro, queria ver se tinhas tempo para poesia até às 5 da manhã!

Vai mas é TRABALHAR, malandro!

baal disse...

não sei, mas será 'quanto me é pesada a terra', esperemos que não sejas um desses pseudo-guerreiros de desus da o. d.

Fausta disse...

Melhor ainda:

"Quam sordet mihi tellus, dum caelum aspicio!"

Fausta disse...

Há guerreiros de verdade?
Ainda há alguma coisa que não seja pseudo? Onde?

baal disse...

existem os guerreios da classe operária, a chatice é que com este índice de desemprego um dia destes não existe classe operária.

João de Castro Nunes disse...

A Poesia, ó Fausta, faz-se a qualquer hora e em quaisquer circunstâncias, mesmo que se esteja em campos de concentração... a fazer pino ou de cara pintada. Foi no exílio que Camões fez os "Lusíadas". E vossemecê... que fez? Alguma coisa que se visse? Vá lá pregar aos peixes... como Santo António de Liboa! E, a (des)propósito: em que é que vossemecê trabalha? Acaso... sabe latim? Ou tirou isso de qualquer site da internet sem indicação da respectiva autoria?!... Eu lho direi... oportunamente, se estiver interessada. JCN

João de Castro Nunes disse...

Caríssimo BAAL: a tradução correcta é: "Que mal cheira a terra!". Quanto à autoria, aproximou-se, mas... em sentido contrário. A minha guerra... é outra. JCN

baal disse...

caro jcn,
de um site

'qui serpentem in sinu nutrit, percutietur ab eo'
acalenta a serpente, que ela te dará a(o) paga(o).

João de Castro Nunes disse...

A terminar:

Por mim dúvidas não tenho,
seja qual for a maré:
onde não chega o engenho
há-de chegar minha fé!

JCN

João de Castro Nunes disse...

Má tradução, senhor BAAL! Vou ajudar: "Quem ao seio mata a fome a sepente e a conforta... arrisca-se a ser mordido por ela". Assim é que é. Um grande Poeta romano o disse. O saber dos tempos. Então, sim, que havia democracia a sério! JCN

João de Castro Nunes disse...

Ó BAAL, não tenhas medo de, por extenso, escrever "Opus Dei". Por acaso não pertenço, com muita pana minha. Tudo o que tem qualidade me fascina! Só que a frase não foi proferida por nenhum membro dessa Congregação, mas sim da "Companhia de Jesus". Imagina quem. Grande guerreiro!

João de Castro Nunes disse...

Ó Fausta, que é isso de cara pintada de "preto escuro"?!... Haverá preto... que não seja escuro? É que se puxar ao claro... cai na zona do cinzento. Parece uma charada ou uma das tais brincadeiras... do Padre António Vieira. Aí está um bom enigma... para a "saudadesdofuturo" humoristicamente deslindar com a sua habitual graciosidade! JCN

Paulo Borges disse...

Ninguém liga ao pré- e por isso estamos condenados ao Natal...

Fausta disse...

O que é que eu fiz que se visse? (importância = visibilidade?)Se assim é, não fiz nada. Pensando bem , devo ser budista... E de Camões só tenho a pala e o braço não naufragado que me prende à fábrica onde trabalho e que tento perceber, a todo o custo, para que serve. Talvez devesse aprender latim...

João de Castro Nunes disse...

Posso ensinar... graciosamente, isto é, à borla, nas horas vagas que me ficam do tempo dedicado à Poesia, noite fora... até às cinco da manhã. Todos somos escravos... de alguma coisa! De cara lavada. E consciência limpa. Dever cumprido... e reconhecido. Posso ensinar, com muito gosto. Latim, grego antigo, hebraico, sânscrito, indo-europeu (reconstituído), etc., etc. Já trabalhei... que bastasse. Mas, por uma boa causa, posso ainda dar um jeito! JCN

baal disse...

pois é. é o que faz não ser baptizado, quando nasci os trabalhadores recusavam-se a prestar vassalagem a aves agoirentas (padres e quejandos), assim não sei distinguir entre loyola e escrivá.
paciência...

João de Castro Nunes disse...

Ainda vai muito a tempo! JCN

João de Castro Nunes disse...

Porque não inclui entre as "aves agoirentas", senhor BAAL, o Dalai-Lama e quejandos?!... JCN

Fausta disse...

JCN, que tal umas aulas de latim via Net? Para não enferrujar...

Fausta disse...

Fazer bem ao próximo...

Fausta disse...

Sentir-se vivo,mesmo com uma língua morta...

Fausta disse...

Ser útil...

Fausta disse...

Ajudar...

Fausta disse...

Ah! Ah! Ah! Ah!
Logo vi...

Toc... Toc... Toc... Palavras ocas como os chocolates do Pai Natal.

baal disse...

o jcn está reformado (fechou a loja). já nem latim tem para os sonetos.
a goes o que é de goes, a damien(ão) o que é de damião.
o que é um homem sem o seu 'inimigo?.
estás 'feitais', jcn?

boas festas

João de Castro Nunes disse...

O prometido... é devido, Fausta! Após o Natal, vamos a isso, a começar pelo "rosa, rosae". Vamos fazer do latim... uma língua viva da silva! JCN

João de Castro Nunes disse...

O senhor BAAL acaso imaginou que alguma vez eu fecharia a loja?!... Que ingenuidade! Estou para lavar e durar, apesar de "jubilado". JCN

Fausta disse...

JCN, a oferta é mesmo verdadeira?

João de Castro Nunes disse...

E porque não? JCN

Fausta disse...

OK! Latim será. Depois do Natal.