O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


terça-feira, 29 de dezembro de 2009

"Desejo libidinal", por Isabel Rosete

Respiro o desejo libidinal
De um intenso querer.

Inspiro o prazer ansiado
Desejado
Que me des-assossega.

Na minha Alma
Penetra
Vulnerável vidro
Disposto a quebrar-se
Em mil pedaços
Espalhados
Pelo chão
Dispersos
Por todos os lugares
Lançados
Soltos
Sem ordem
Sem ligação
Nem relação possível.

A amargura
Instale-se no meu peito
Por esse outro que não vem.

Está aí
Mas, não aqui!

Paira no meu pensamento
Consome-me visceralmente…
Deixa-me só!

2 comentários:

Sereia disse...

"Que as realizações alcançadas este ano, sejam apenas sementes plantadas, que serão colhidas com maior sucesso no ano vindouro."
Amei o seu blog.
Parabéns pelo bom gosto.

João de Castro Nunes disse...

"Não vou por aí!" JCN