O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sábado, 26 de dezembro de 2009

Da Arte como libertação dos gregarismos patrióticos e religiosos

"A indifferença para com a Patria, para com a Religião, para com as chamadas virtudes civicas e os apetrechos mentaes do instincto gregario são não uteis, mas absolutamente deveres do Artista. Se isto é immoral, a culpa é da Natureza, que o mandou crear belleza e não pregar a alguem"

- Fernando Pessoa, "Os Fundamentos do Sensacionismo", in Sensacionismo e outros ismos, edição de Jerónimo Pizarro, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 2009, p.185.

10 comentários:

João de Castro Nunes disse...

Que tipo de beleza?... Criar beleza... para quê e para quem?!... JCN

Fausta disse...

Beleza, simplesmente.
Para mim, JCN.
Já estamos depois do Natal?

João de Castro Nunes disse...

Falta saber... para quê. JCN

Fausta disse...

Latim, Mestre. Aprender. Ainda tem dúvidas? Não acredite em fins felizes, daqueles que aqui mostram.
Negociamos?

Fausta disse...

"Largissimi promissores, vanissimi exhibitores."

Fausta disse...

"Barba non facit philosophum."

Fausta disse...

"Verum velle, parum est."

João de Castro Nunes disse...

Em questões de latinidade, a Fausta... dã-me água pela barba, que por sinal vou deixar crescer... para me arvorar em filósofo. JCN

Fausta disse...

Nada como um bom esforço...

João de Castro Nunes disse...

A quem o diz! JCN