O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sábado, 10 de outubro de 2009

"Que o mundo é um jogo divino e para além do bem e do mal: nisto o Vedanta e Heraclito são meus predecessores"

- Friedrich Nietzsche

3 comentários:

saudadesdofuturo disse...

Não me aborrece a imagem do mundo como jogo divino. Mesmo que assim não pensasse, os deuses se encarregariam de mo fazer "ver."

A vida, o mundo, é "para além do bem e do mal"... Concordo. Para além do além, talvez só o indizível o pense, e algum menos denso sopro de alma alcance...

Obrigada Paulo, por esta leitura que tanta falta nos faz!

Um abraço
Um bom Sábado
Um bom "Jogo"!:)

antiquíssima disse...

O mundo é?

Paulo Borges disse...

Todos imaginamos ter predecessores. Eu imagino que, na vida, na inquietação e na morte, tenho a todos os seres, desde tempos sem começo. Incluindo isso a que chamo "eu próprio".