O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Os desafinados

(Para os musos, Serpentinos e Poetas de arte maior e menor...)

Aproveitem que não se vai repetir...


http://

15 comentários:

Damien disse...

Não desafinou nadinha.
Afinou "bué".
Buereré!
: )

Damien disse...

Ah, esqueci de dizer.

Ok, Saudades, aproveito, visto que não vai repetir-se: é uma vez, sem exemplo!

Mas é um bom exemplo.
Para desafinar os "afinadinhos".

saudadesdofuturo disse...

Cuidado com os violinos,D. D:)!

Ah e "buereré" é "bué" bossa nova!

:)

Não sei fazer o boneco do piscar de olho... nem sei se há...
haja quem o invente!

João de Castro Nunes disse...

Por mim... não tenho o costum de "afinar", ao contrário do Damião (de Góis), que "afina"... por tudo e por nada! Venha a música! Se possível... afinadinha. Sobretudo... os violinos... de arte maior! JCN

João de Castro Nunes disse...

Só não tem... coração quem farisaicamente desvia os olhos e tapa os ouvidos à sedução das artes, sejam visuais, auditivas ou poético-literarias. A esses... só Deus pode valer... se estiver para aí virado. JCN

saudadesdofuturo disse...

JCN!

Aproveite e escute a bossa-nova, JCN! Descontraia e des-afine à vontade!

Não se ponha tão tenso,JCN!! Que até o soneto pode desafinar, homem!

Agradeça a boa disposição e dedicação das musas,das deusas, dos poetas e dos músicos!

E... deixe(m) de se comportar como "namorados"(sorry o smile) que até eu fico com ciúmes!

Baixem as armas ou "casem-se", por Tutatis!

(É preciso fazer caretas para vossemecês se rirem... ou será preciso começar a cantar: "Se vocé disser que eu desafino...."

PS. Até parece que já estou a ouvir JCN a dizer: (desculpem) "Porra Senhor Abade!
Lá dizia o bispo do Porto!

João de Castro Nunes disse...

Que dardo bem atirado, "saudadesdofuturo": até ficou a vibrar... cravado no portal do coração! Sem capacidade de resposta. Pouso o meu arco. JCN

saudadesdofuturo disse...

Desarmado, mas não desalmado!JCN
Anime-se!
Oiça a musiquinha outra vez...

Sorrizinho nos lábios, vá, lá!

Até Camões dançava, com licença do vate!

saudadesdofuturo disse...

Gostava de ouvir o que tem o nosso querido Paulo Borges a dizer sobre este "café-concerto", aqui no "Serpentina House"
e Damien, ainda não se rendeu?

É desafinado? P.B?
Eu se tivesse apego ao "eu" diria que canto medianamente, sou mezzosoprano.

A serio: Espero que o Paulo não se zangue... por...
ficar de fora deste "desafinanço"...
Que Saudades do Manuelinho!

Um abraço, Paulo.

saudadesdofuturo disse...

..................................
Medo??? Na Serpente??

Os medos são os nossos piores inimigos. Os medos são ilusão. No universo do medo... se formos a pensar... nem medo há. No Uni-vero da Serpente é de se ter muito medo!
Tipo: "filmes de terror!"... por saudades-do-futuro satinizada, bruxaria e satanismo; xamanismo e mau olhado; cobras lagartos e medo... Tenham tanto medo que já não possam segurar mais as vossas pernas... e só depois deveis manter-vos de novo de pé.

Perguntareis: medo de quê?
Tenham medo do Nada que vos/nos devora.

Tenham medo, cavaleiros de Nenhuma Ordem do Mundo e que viveis neste...

Até já eu estava com medo de mim! Bolas!

Medo?? Medo??

(Acto número um de uma improvisação imprópria ... por dar medo!
É o que diz... quem tem medo...

Como é possível?

Também é um excelente tema de reflexão, o saber até onde pode a palavra chegar: o imenso poder do verbo. Por isso o silêncio lhe é tão precioso.

Um abraço a todos.

Damien disse...

A propósito do medo e seu mistério, ocorrem-me aqui palavras de António Maria Lisboa, esse extremilúcido de toda a inquietude.

Diz ele em “Mistérios, medos e mais coisas”:

"Para haver medo de qualquer coisa é necessário haver uma previsão de perigo. Esse não querer ir para o perigo que produz um abalo nervoso e um estado de consciência depreciativo chamamos medo. Ora, o perigo não nos vem da morte mas da vida. A morte é uma consequência de viver, ou do viver demasiado. A força da morte é metafísica, a da vida é real. Não é a morte que mata a vida, mas esta que vai morrendo. A vida somos nós e nós vamos caindo de cansaço. A vida é a única força. A morte é consequência da sua quebra."

Emplumabraço, Saudades.

saudadesdofuturo disse...

Claro que é. Excelente lembrar-mo, Damien!

Vem de dentro das palavras de Maria Lisboa uma tal familiaridade com as minhas: pensadas ou escritas palavras, que me assusto
de modo pavorosamente metafísico que me deixa na dúvida se o que leio de AML não terá sido sonhado por mim e mesmo escrito em algum ponto onde é possível encontrar essa ausência que dilacera e ao mesmo tempo abranda e adoça o sentido e os sentidos da poesia.

Em nossas mentes passam e giram como em um movimento de vida, um caleidoscópio de mundos... passam em nossas mentes tantas e tão fundas e díspares ideias, quando deixamos à solta fluir a mente, conscientemente e representativamente. Um final que vem antes... um sem princípio e sem fim lúcido, claro evidente.

Deixemos pois os medos que os haja e para quem os haja.

PS. Fiquei chocada com o facto do baal considerar que neste espaço, há quem tenha medo de mim... sensibilizou-me demais...

Sem snif! mas... mesmo assim...

saudadesdofuturo disse...

...acho que o vento está a levantar, aqui...

Vou-me recolher.

baal disse...

saudades queria falar de um 'medo' saudável: o da crítica necessária.
sinto que errei e é sempre triste fazê-lo em relação a quem se gosta.
pois mas agora é tarde... pensei se tenho algum medo no subconsciente relacionado com a escrita, mas não... foi só um erro apressado e estúpido.
peço aquelas(desculpas) que se devem evitar.
de quem muito te considera.
baal

saudadesdofuturo disse...

Obrigada, meu lindo, acredito.

Mas não te sintas culpado. Se calhar sou demasiado agressiva ou tenho um humor às vezes meio envenenado e ou desajeitado. (Sou escorpião!) para quem que não eu crê nestas coisas, assim... sem mais... Em suma, sou perfeitamente inofensiva.
E... gosto de escrever... esse é o seu maior mal... bem... um dos...
também gosto de rir, sem malícia.

este outono está a pôr a "serpente louca", ou é só a mim? Hamm!!? Hummm?

Também exagerei, deixando-me levar pelo "teatro" do quadro estranho.

Só para dizer... que morrrrdo!!!

Está perdoado, baal.