O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


terça-feira, 6 de outubro de 2009

PROMOÇÃO

Se neandertal é termo que arrepia
por tão remoto ser, eu faço o jeito
de o comutar, embora contrafeito,
por cro-magno... de mais categoria.

JCN

1 comentário:

Damien disse...

Contenha-se, Senhor Nunes, sim?

É, no mínimo, uma desmesurada falta de respeito por colaboradores e comentadores deste blogue(para já não falar, é óbvio, de quem o administra) esta poluente inundação de posts completamente infantis e despropositados. Tenha maneiras! Cresça!
A continuar com esta parvoeira, alguém se verá aqui na obrigação de apagar este lixo. Entendido, avôzinho?

É desta compostura de que se reclama na sua entortada e entorpecida estirpe? Poucochinha coisa, pelos vistos.

Caso tenha esquecido, a estirpe está no carácter e na índole, não nos pergaminhos. Estes são meros reconhecimentos daqueles. E não são para emoldorar: são para se ser!

Ainda vai a tempo de não esquecer o que, bem provavelmente, sempre fez questão de não aprender.

Quem torto nasce...