O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Escolhas

Há quem
vivendo num grande mundo
o veja pequeno.

Há quem
vivendo num pequeno mundo
o veja grande.

Um
vive virado para si mesmo
em revolta.

O outro
vive virado para o sem nome
em aceitação.

O si mesmo
é uma construção.

O sem nome
é o real.

O primeiro é difícil
e cheio de treva.

O segundo aí está
ora assim, ora assado
inconstruto.

Respeita os anciãos
mas sabe que até eles
aprendem.

O que antes era cinzento
revolveu-se
e, no seu revolver,
tornou-se Sol.

5 comentários:

Paulo Borges disse...

Caro Nuno, que grande e sábio regresso! Magnífico.

saudadesdofuturo disse...

Bom regresso, Nuno, à Serpente... e a esse mundo de onde vens, e que não é pequeno nem grande, tão só o que é... é o mesmo Sol...

Um beijinho

Nuno Maltez disse...

Obrigado a ambos. Um abraço.

João de Castro Nunes disse...

Difícil... opção! JCN

praia da lua disse...

escolhas tão sabiamente (d)escritas por ti...e apetece-me dizer: ainda bem q o universo nos escolheu!

bj especial e orgulhoso de ti :)