O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 31 de maio de 2009

o irreparável

o irreparável é o facto das coisas serem como são, deste ou daquele modo, entregues sem remédio à sua maneira de ser. irreparáveis são os estados de coisas, sejam elas como forem:tristes ou alegres, cruéis ou felizes. como és, como é o mundo- é isto o irreparável.
agamben, a comunidade que vem
saudações

28 comentários:

Avaria disse...

Irreparável é a nossa mania de produzir destinos e amachucar bandeiras alheias como se tivessemos o direito de provocar ou exigir mudanças nos outros.

"Cala-te, exclamou ela com voz sufocada, escondendo as suas lágrimas num lenço, oh, cala-te e não gracejes com o teu destino, com o teu coração! pois eu entendo-o, e melhor do que tu".

Holderlin

saudadesdofuturo disse...

O irreparável és tu, somos nós e mais tudo o que acontece e não tem importância... O irreparável é Deus e o mundo. O irreparável é a morte de deus...
O irreparável sou eu e é agamben...

Saudações

Anónimo disse...

o coração voa nos abismos
sem saber que o são
em plenitude ascensória
compreende a sua ilusão
com o tempo se cega
na triste irrealidade
em mente se transmuta
quão cinzenta permuta

Anónimo disse...

cai entre mundos
e nunca regressa
que é senão viagem
além do que lhe interessa?
em movimento contrário
aurora da vontade
existe algo em si
de voltar aí

Anónimo disse...

quedado em sinais
em busca da sabedoria
esqueceu-se que viu
a noite no dia
então repete que é
e que não é viagem
para se não agarrar
ao que viu ser miragem

Anónimo disse...

"eu sou aquele que sou e no entanto não sou".

maltez disse...

interessante diálogo.

penso que cada um escolhe o seu destino a cada instante.

maltez disse...

que é o mesmo que dizer:

que a nossa mente nos livre de pararmos no caminho.

como dizem os sábios da rua:

parar é morrer.

mas não será morrer renascer?

Anónimo disse...

regressa às tuas intuições mais básicas pois elas estão correctas

Anónimo disse...

perde-te no oceano do básico imbásico, encontra a sua primordial aprimordialidade, repousa nela sem que repouses, ri e rebola na terra

Anónimo disse...

entra nas múltiplas dimensões do ser, toma um pouco da sua magia, a mais feroz das bestas reconhecê-la-á, sorrirá para ti e brincarão juntos num novo arqui-espaço onde se unem os seres oriundos das múltiplas dimensões

Anónimo disse...

multiplica e desmultiplica os seres tantas vezes quantas a tua espontaneidade assim to indicar

regressa à espontaneidade
redescobre o caminho
que não é caminho
limita-te a caminhar
sem que caminhes

Anónimo disse...

liberta-te de tudo o que há em ti

Anónimo disse...

dança olhando uns olhos quaisquer e verás que não são uns olhos quaisquer mas o teu próprio ser que te responde

Anónimo disse...

depois parte e abraça uma árvore, fala com a terra, acena à dimensão dos mortos, rindo e rebolando na terra

Súmula Filosófica:

RI E REBOLA NA TERRA.

Cuspindo disse...

"liberta-te de tudo o que há em ti" O que é isso? Demagogia barata? Leitura filosófica de tempos livres? Compreendo a razão pela qual alguns filósofos, esses sim, verdadeiramente filósofos, se divorciaram da filosofia. NÃO HÁ PACHORRA!
Se estivesses liberto, não escrevias tanto. As palavras somos nós, limitados pelos arames de cada letra, debruados e definidos em cada sílaba, presos no movimento de cada ideia roubada à humanidade e absolutamente condenados pela existência.
Qual destino feito por nós? O que escolhes tu, coisinha demente? Livrinhos para ler? Fatos para vestir? Pessoas para amar seja lá o que isso for? Não escolhes sequer a tua vinda nem a tua partida! Não escolhes nada! NADA de importante tu escolhes! Muito menos ser livre!
Bolinha de futebol imbecil! A rebolar e a rir a cada pontapé como se esse movimento grotesco dos pés do destino fosse também teu!

Anónimo disse...

calma relaxa :)

Anónimo disse...

aprende os nomes das coisas, principalmente porque elas não têm nome

Anónimo disse...

Cuspindo,

repara que

a cada instante estamos a tempo de não ter nascido

a escrita é ela própria libertação

limar arestas

ou não sabes que a vida é oração e que a oração não é oração?

relaxa

Anónimo disse...

aceita o que ontem te ofereci

e livra-te de seres tu mesmo, mas não deixes de sê-lo

pacifica essa tua vontade de saber

esquece os livros

cria e contempla

limita-te e ilimitar-te-ás

esquece a vidinha

dá tudo o que tens

Relaxando disse...

É... gosto do inominável... do sem rótulos...

Limar arestas... já me tinham dito. Vim assim, sem lima e, por isso, me desgasto.

Não sei orar. A vida não é uma oração. Deus abortou-nos. Não há nada a pedir-lhe.

Odeio escrever. É um impulso estúpido.

Anónimo disse...

esquece a lima, olha para o sol, esgravata na terra e rebola, cobre-te mesmo de terra, dança na lama à chuva, não tomes banho durante uma semana, sai e caminha na noite sem dinheiro nos bolsos, aprende com os ignorantes

DeKleenio disse...

Não.

Nuno Maltez disse...

E se eu disser: aprende com os humildes a ser humilde, já aceitas?

Repara que não me estou a autodeclarar humilde, mas apenas a defender que podemos aprender, por contacto directo com pessoas humildes, a ser humildes.

Nuno Maltez disse...

Se aceitas, poderias também aceitar que aqueles que são de facto humildes, embora possam desocnhecer muita da cultura que eventualmente conheces, podem ensinar-nos algo - a humildade - e que, por isso, não são ignorantes, mas detentores de uma certa sabedoria (diria mesmo de sabedoria)? Ou és incapaz de aceitar isto, por não aceitares a primeira proposta?

Nuno Maltez disse...

http://www.youtube.com/watch?v=wFzUTl5KZ3I&NR=1

Ofereço-te uma música chamada "Morning star", de um grupo chamado Electric Universe.

Espero sinceramente que encontres nela algo de especial.

Bunda disse...

Quase no silêncio
(traque)

Anónimo disse...

já me tinham dito, disse, assim sim, há mais marés do que marinhreiros, o que lá vai,lá vai, vai dar banho ao cão, se não tiveres cão dá ao gato, e para terminar vai andando mano (a)
isto sim é filosofar
laab