O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 17 de maio de 2009


fotografia " Descending Angel" by John Wimberley

Eis, pois, como é doloroso o derrame da consciência neste pensamento - deixaste de existir! As rosas brancas acabadas de cortar no jardim nocturno, não deixam repousar a cabeça sobre a almofada; talvez esta almofada seja uma nuvem e, nela dormitar, é ter uma cratera,
um mar turbulento, nas raízes do corpo. Este corpo que sobrevive sem o espírito - está morto!
É nesta súbita lucidez, no quarto rodeado de paredes brancas, que divido a sombra. Diria que é uma divisória envidraçada, onde vejo, além - vêem também? - um homem que faz o gesto de um relógio, e executa o movimento dos ponteiros. E não pára. Grito para que pare, mas ele não me ouve; apenas lê o movimento dos lábios, que narra a deslocação de um silêncio ensurdecedor. «Ouve-me!», peço-lhe mais uma vez. É um pedido, que nunca, nas linhas telefónicas já sem ligação, chegou a acontecer no tímpano, a vibração da música.


Liliana Jasmim

5 comentários:

Anónimo disse...

da ausênncia à luta, nomea-se sobrevivência.

antiquíssima disse...

Ke Bellum aGueerrra AGárra ia BeLesa Leza

Paulo Borges disse...

Abençoados os anjos que descem sem caírem.

Liliana Jasmim disse...

abençoados mesmo.

Anónimo disse...

Também gosto dos que caiem...