O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 15 de novembro de 2009


5 comentários:

platero disse...

andrógino facínora?

Paulo Borges disse...

Saudek é grande. Filho de uma grande cidade, no coração boémio da Europa. Não esqueço a profunda impressão que Praga me causou. É a Europa profunda, que temo jamais voltar...

platero disse...

A minha ignorância é grande nestas coisas. maior do que a Boémia e a própria Europa.
Não sei quem (o que)é Saudek. Daí melhor seria me ter abstido de debitar tolice

João de Castro Nunes disse...

Agora os "profundos"... somos nós, pouco faltando já... para bater no fundo! JCN

Lee Gonçalves disse...

Saudek é grande, assim os meus olhos vêem a sua obra. Desde à fotografia à pintura.