O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sábado, 21 de novembro de 2009

artístico disfarce



para além do inconfundível aroma que confere
a cozinhados como "Sopa-da-panela" "Cozido
-à - portuguesa " e outros, a HORTELÃ hos-
peda este artístico coleóptero de colorações
entre o verde, o azul, o ouro.
é tempo dele. Atente - antes de colher a
hortelã. Mas atente bem, porque é um caso
paradigmático de mimetismo

6 comentários:

João de Castro Nunes disse...

Parasitário coleóptero: chamem-lhe tolo! JCN

platero disse...

é lindo. Só com muita atenção é possível distingui-lo.
clique para ver melhor - já sabe

João de Castro Nunes disse...

Brilhante... realmente! Só que nós, os transtaganos cá de cima, não vamos muito à bola com essas perfumadas ervas dos transtaganos... aí de baixo. Temos outros paladares, mais aquilinianos, mais à bruta. À beiroa! JCN

Rui Miguel Félix disse...

Platero, linda fotografia, (h)otográfica e cheia de vida! Parabéns! Deixa-me dizer-te que este 'escaravelho esmeralda' além de raro é valioso! Até disto se trafica, amigo! Há espécies de escaravelhos que, como esta, chegam a atingir uns largos milhares de dólares em 'mercados da especialidade':)
Sem dúvida que a fotografia, e a bem do digital, é agora amiga do ambiente, e serve para, em casos como este, imortalizar um dos mais belos vislumbres do mundo natural... a fotografia de um avistamento... brilhante!

Abraço amigo.

Agora,
Caro João,
permita-me defender o pobre bicho e a sua condição.
Bom... biologias...
Este bichinho de parasitário nada tem! Muito menos foi ele quem comeu a hortelã. Acaso algum afídeo por ali se passeie e... zás! Lá se vai o verdadeiro parasita! Para que precisava o rico bichinho de tão ilustre disfarce? Para enganar o vegetal? (sorrisos) Bom... biologias...

Um abraço também.

João de Castro Nunes disse...

Chamem-lhe tolo, repito! Podia ter aterrado numa vulgaríssima folha de couve ou amarguento saramago. Mas... não! Preferiu a perfumada e auricerúlea hortelâ: hotel de cinco estrelas. Pois então! JCN

João de Castro Nunes disse...

Para tascas... ia para Arganil! JCN