O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Levanta-te que o poema vem já
Recebe-o nos lábios
E canta no lirismo da nascente
Ainda que com chagas na tua pronúncia

E se alguém te mandar calar
É para dizer que o mar está na mesa
Pois na hora exacta do poema
Os peixes tornam-se pensativos

26 comentários:

Paulo Borges disse...

Levanto-me de joelhos ante a sua inspiração! Saúde!

Isabel disse...

O poema é lindo. Agradeço-o como uma dádiva que abençoará o meu dia. Gratíssima.

João de Castro Nunes disse...

Eu também me levanto, mas... de pé, na vertical! JCN

saudadesdofuturo disse...

Sei reconhecer (sei lá se sei!) um bom poema, quando o sinto, quando o bebo e o recebo, como pão ou como hóstia. Gosto muito deste poema. Grata pela leitura, e por lembrar, uma vez mais, que "a poesia é para comer"...

João de Castro Nunes disse...

A "saudadesdofuturo" falou por mim, melhorando a expressão: aplaudo e agradeço. JCN

Paulo Borges disse...

Caro Flávio, quer enviar também alguns poemas, por ordem de preferência, para a Nova Águia?

Flávio Lopes da Silva disse...

isabel!
gostei que tenha gostado!
que o poema seja o pão nosso de cada dia.
abraço

Flávio Lopes da Silva disse...

viva paulo borges!
também eu sou um admirador da sua escrita. e do seu pensamento.

sim,enviarei para a nova águia.
grato por suas palavras.

Flávio Lopes da Silva disse...

saudades do futuro!
a poesia é tudo o que quisermos, salvo seja, desde que a nossa alma esteja exuta.
saudações poéticas

João de Castro Nunes disse...

Nunca conheci nenhum poeta que
primasse pela... mesquinhez! JCN

João de Castro Nunes disse...

Levanta-te ou senta-te?... Não se trata de comer "pensativos peixes" à mesa?..Estarei baralhado?... JCN

saudadesdofuturo disse...

Não sei, JC! (encolher de ombros profundo)

Será que o poema se come de pé... para não distrair dos "peixes pensativos"?

Saúde!

Sorrisos:))

P.S. Obrigada, Jota Cé, por me fazer rir hoje. Estou muito triste ... e também cinzenta...
Será da sombra do chapéu de Pessoa?

João de Castro Nunes disse...

Se a fiz rir, "saudadesdofuturo", já ganhei o dia! O resto... são cantigas para ouvir... sentado, enquanto os peixinhos pensam, mesmo depois de fritos ou... tramados pelos versos do... subentendido. JCN

João de Castro Nunes disse...

Que será uma "alma exuta"? Existirá à face da terra?!... JCN

saudadesdofuturo disse...

Eu sou uma "alma exuta", mesmo que não haja... ou por isso!
J.C. (N ou A)?? (:-

Sorry!

João de Castro Nunes disse...

Por isso mesmo, "saudadesdofuturo"; por excepção. A única! E viva o termo, que passa a ter registo civil! Na sua única e exclusiva pessoa. JCN

Fausta disse...

Ai que lindo, põe mau nisso! Abre o "olho".

saudadesdofuturo disse...

Fausta, estás a avisar o JC para abrir o ferrolho... Humm! Isso é tudo ciúmes? Humm!
Olha que o Jota Cê, ainda não me ensinou nem latim, nem latão, mas gosta de mim... isso gosta...
Vá-se lá saber porquê?:)

(Um sorriso, Fausta!)

Tenho pena de não saber latim para lhe ensinar... Sei pouquinho, pouquinho... Devo confessar que me dava jeito saber mais... como de tudo... Mas não tenho mestre que me ensine...(piscar de olho)

P.S. Fausta, é para o J.C. pôe "mau nisso"?? Mau? Ainda não tive nenhuma lição...:)

João de Castro Nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João de Castro Nunes disse...

Desafiando "saudadesdofuturo" a prosseguir:

Ao som dos violinos vai sair
mais um soneto meu revivalista:
preparai os ouvidos para ouvir
este poema que vai dar na vista!

JCN

Sereia* disse...

Belíssimo!

Como peixe e com o mar na minha frente*

João de Castro Nunes disse...

Nem todo o peixe é de mar! JCN

Sereia* disse...

Concordo, JCN.

Nem todo o Homem é da terra*
E, em atrevimento, junto:
AINDA BEM!

João de Castro Nunes disse...

Sabia que também há sereias... de rio? JCN

João de Castro Nunes disse...

Já chega de serpentinos,
vou para outra freguesia:
com poetas pequeninos
não me agrada a companhia!

JOÃO DE CASTRO NUNES

Avança, Feitais! JCN

João de Castro Nunes disse...

Eu tenho mais que fazer
do que aturar as serpentes:
por que tenho eu que sofrer
a peçonha dos seus dentes?

JOÃO DE CASTRO NUNES