O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

A montanha escondida pela neve
desnuda pela chuva,
e de novo coberta, e novamente nua.
Umas vezes em gelo onde mal piso escorrego,
noutras tão fofa que me enterro e gelo.

Encosto-me à árvore.
Quanto mais velha - mais bonita.
E há aquelas que duram quase uma eternidade.
É nela que me abraço e esqueço.

Tiro o casaco,
jogo fora o lenço
faça neve, faça sol
já não me importo.

Uma cereja suculenta salvou
um homem de se matar
Com a cereja escorrendo pela boca,
viu o sol,
abanou a árvore,
deu de comer às crianças na rua.

6 comentários:

platero disse...

gosto muiito

beijinho

paladar da loucura disse...

obrigada :)

João de Castro Nunes disse...

Entro na procissão... fiado a ter direito a uma cereja. JCN

paladar da loucura disse...

Por quem sois...
Está o campo coberto de cerejas a teu dispor

João de Castro Nunes disse...

Confunde-me tanta generosidade servida com punhos de renda e luva branca, à laia das damas "du temps jadis"! Gentileza aceite e agradecida. Como retribuir? "That is the question". JCN

paladar da loucura disse...

Não seja desconfiado JCN. A natureza é generosa.