O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 24 de janeiro de 2010

- “Rodolfoooooo! Rodolfo… vamos à rua! Vá – anda!
Silencioso Rodolfo aparece cabisbaixo – de certeza que fez alguma asneira – lentamente coloca-se a jeito, ao meu jeito em frente à porta.
- Pesa-te a consciência? Vá, não disfarces conta logo o que fizeste.
Luísa levou meu Mrozek. Fazia-me bem ler agora O Homem na Gaiola.
- Vá não te estiques Rodolfo. A mentira tem perna curta. A vida não tem rascunho. Não podes passar a vida a pensar que desenhas um esboço. Gaita quando vais aprender?
Silêncio. No horizonte de Rodolfo somente o chão – sujo ou limpo sempre chão. Seu corpo se contrai. Em cada gesto um apelo ao perdão. Dança ao som da censura como
se o caminho só fosse castigo.
Desesperada resmungo um palavrão.
- Não há paciência! E tu repetes o erro como se fosse esse o acerto … Vá não dizes nada? Ainda por cima fazes censura à fala?!
Abriu um vazio no chão da escada. Redondo, profundo, estreito como se fosse a garganta do Atlas. Sem fim.
Rodolfo se estica cansado.
- Vá Rodolfo anda vamos à rua… Prometo que não te coloco a trela…

24 comentários:

Fausta disse...

Quem tem a luz no sítio errado pode ser confundido com um palhaço.
Mas, quase sempre, é só uma 'renite'...

paladar da loucura disse...

se a luz é fraca o palhaço vira o bobo da corte...

Fausta disse...

Neste momento, a minha está a apagar-se...

paladar da loucura disse...

com sono?

Fausta disse...

Trabalhas num hospital?

paladar da loucura disse...

nem sou assistente social. estás a precisar?

Fausta disse...

Pelo que postas, pensei que sim.
Boa noite paladar. Nunca apreciei o teu sabor.

paladar da loucura disse...

Boa noite Fausta.

João de Castro Nunes disse...

Que conversa... mais insípida! JCN

paladar da loucura disse...

Lá isso é verdade JCN. Deve ser da hora, ou da luz fraca. MAs a Fausta acabou em beleza!

João de Castro Nunes disse...

Valha-nos isso! Muito embora eu não me tenha... apercebido. JCN

Paulo Feitais disse...

Um delícia, este texto (como todos com este Paladar). Quando não se tema alma pequena, vale a pena vir aqui ler e degustar os frutos de tão bom paladar!

:)

João de Castro Nunes disse...

Quem se pode arrogar de não ter a alma pequena?!... Quem de si... se atreve a ser juiz? Presunção e
agua benta... cada qual tem a que inventa. JCN

João de Castro Nunes disse...

Onde é que eu já ouvi esta da "delícia"? A par de "Belíssimo!", será marca da casa? JCN

João de Castro Nunes disse...

Há quem tendo a alma pequena
se julgue mais que ninguém:
são esses que me dão pena
pelo estrabismo que têm.

JCN

João de Castro Nunes disse...

As almas não se avaliam
pelo tamanho que têm,
mas sim como reagiam
perante o mal e o bem.

JCN

baal disse...

como reagem?

João de Castro Nunes disse...

Ó pá, a tua "cartilha" não te ensina? Olha que eu não sou... catequista! JCN

Fausta disse...

Não gozes JC! Por acaso a teu amiga Júlia Teixeiro sabe latim? Responde depressa que eu tenho de trabalhar.

Quanto aos poemas, precisam de remodelação. Cheiram a mofo de sacristia e não cumprem os necessários requisitos de sedução para seguir Cristo por esse mundo dentro. Depois, não sei se simpatizo com a figura do cordeiro forte rodeado de sádicos por todos os lados, na isolada ilha do Ser, a pedir ao Pai força para aceitar mais pancada e ganhar o direito à Sua direita no sentido directo da salvação de tudo aquilo que não pode ser salvo sem a vontade do próprio.
Convence-me LÁ! Evangeliza esta o velha preta e rançosa.

Fausta disse...

Ah! Entendi. Beijinho. Força!

Fausta disse...

Deixa lá isso, JC. Não te esforces. Guarda o pedido na gaveta do latim e faz festinhas às ovelhas já amansadas pelo altruísmo da servidão sempre em palco...
Eu, eremita, me condeno a esta alma, berlinde jogado pelo Menino sem o abismo da barroca.
;)

Fausta disse...

Lá ao fundo, vejo o herético Buda sorrir-me.

Fausta disse...

Que pena ser tao gordo!

João de Castro Nunes disse...

Ainda não pensaste... que se fosse magro, ó pá, não era Buda? JCN