O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sábado, 23 de janeiro de 2010

A regra pariu a dor
porque o talento aprisionado
mofou na gaveta

8 comentários:

João de Castro Nunes disse...

Quem tem talento é pecado
deixá-lo morrer de mofo;
assim faça, por seu lado,
quem não tem qualquer estofo!

JCN

paladar da loucura disse...

é caso para te perguntar se não queres que te devolva a cadeira mas agora bem estofadinha...

paladar da loucura disse...

JCN a cadeira é para te sentares e respirares porque talento não te falta!

João de Castro Nunes disse...

Ter talento é sujeitar-se
à mesquinhez das igrejas:
o melhor é preparar-se
para enfrentar as invejas.

JCN

João de Castro Nunes disse...

Mais cadeira menos cadeira, antigas e modernas, de pau e de pedra (lascada ou polida) tenho para emprestar... e dar, caso façam jeito. Guarde-a como lembrança... de um bem-humorado e passageiro desaguisado. "Pour bien"! JCN

João de Castro Nunes disse...

Para terminar:

A mais terrível ofensa
que pode fazer-se a alguém
é ter talento, pois pensa
que é aquilo que não tem.

JCN

paladar da loucura disse...

A tua cadeira já repousa na minha memória - obrigada!
Já agora explica-me, só comentas textos pequenos?

João de Castro Nunes disse...

É... conforme. JCN