O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 17 de janeiro de 2010

Entre nós e as palavras preguiçosas de noites idas passadas em prosa
Entre nós e as portas trancadas meninos vadios a rimarem com escória
Entre nós e os ais perdidos escuto a raiva silenciosa
Entre nós e as palavras mudas
Existe a vida vestida de prosa

Espera amor deixa que o sol pouse sem pressa
pelo tempo que prometemos existir

22 comentários:

Rui Miguel Félix disse...

|(...)
e entre nós e as palavras
o nosso dever falar

aí está "dever", mas é "querer"|

Abraço

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paladar da loucura disse...

e eu fiquei sem ar quando acabei de te ler

paladar da loucura disse...

Rui
entre nós o nosso querer
ABraço

baal disse...

a fausta faz-me lembrar o baptista bastos, se isto não é 'a viagem de um pai e de um filho pelas ruas da amargura' ´e um plágio

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paladar da loucura disse...

não deixa de ser interessante o vosso diálogo!

baal disse...

cocós, lindo fausta a menina para trabalhadora anda muito in...aliás o bb perdeu-se como escritor mas o livro que citei é excelente e ó fausta o ritmo é o mesmo.

Caralinda disse...

Exemplo de literatura kingsize que terminei e lhos recomendo para completar o puzzle da época em causa Os Thibault de Roger Martin du Gard.

Caralinda disse...

É impossível que em todos estes anos de convívio forense eu não tenha já impingido os Thibault, mas num'alembra, pelo que peço já desculpa sew o estiver a fazer pela enésima vez, é do Alzheimer, ou da snake a comer-me os olhos.

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Caralinda disse...

Ora muito boa noite!
Confesso, mais que vir largar olás, vim pedir a vossa colaboração para descobrir o paradeiro do reverendo Mutumbi. O reverendo saiu ontem do convento para ir comprar o vinho para a missa e, não voltou...

Dao-se alvíssaras!

Caralinda disse...

Preferi não resumir a minha ignorância mas...

Fausta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Caralinda disse...

Eu sou um verdadeiro parolo, tenho um apenas um geek com ambições de perceber a vida porque é o que está na moda, a comida biológica, o ambiente, a ecologia, etc., mas não engano ninguém, especialmente sou um parolo como eu que toda a vida viveu na aldeia, tirando os anos de emigração...

saudadesdofuturo disse...

Adoro parolos!
Fazem-me Saudades!

saudadesdofuturo disse...

Estava só a brincar,eu também sou um bocado parola.
Acho que não faz mal. Isso do geek é que já me faz um bocadinho de confusão, mas isso é por ser parola. ;)

(Risos)

E ainda estamos em Janeiro. Já anda a bicha de volta dos olhos.
É caso para dizer como um certo bispo do Porto, acho eu...

P.... Senhor Abade!
Único lugar comum deste blog!

Caralinda disse...

De mesmíssimo modo, sem tirar nem pôr.

saudadesdofuturo disse...

Será isto o "paladar da loucura"?

Paladar da loucura: Desculpa lá.
Eu gosto do que escreves, não sou como a Fausta, uma crítica de primeira!

paladar da loucura disse...

Saudades do Futuro - muito obrigada. Ninguém é obrigado a gostar do que escrevo. Assim serão sempre bem recebidos todos os comentários.
Espanto-me somente com alguns diálogos atravessados, que pouco ou nada têm a ver com o que escrevi. Porém se o espaço foi assim aproveitado é porque estava aberto. Entre "promessas surdas" e vagabundos amados a escrita acontece. Enquanto não me deitarem no divã a perguntar pelo meu bem amado - escrevo!

saudadesdofuturo disse...

Paladar da loucura,

Comovo-me com a tua sinceridade.
Às conversas para(lelas) não ligues. Penso que é mesmo um certo (desculpa!) "Paladar da loucura" que por aqui perpassa. Até eu sou contagiada!
Excepto a Fausta, que tem mau Amor, o resto é tudo amorável...

E é verdade, não interessa nada que os outros gostem.

(Como poderiamos gostar todos do JCN? e da Caralinda?)

Olha que estes "exercícios" chamemos-lhe assim, limpam a alma. Eu sinto que sim.

Assim evitamos ir ao divã...
divi(a)nizamos aqui.

Um bom dia a todos.