O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 24 de janeiro de 2010

AMOR SEM LIMITES

(Quadras P´ra Pulares)


de tanto que eu te quero
não cabes neste covil
só se trocar o T Zero
no mínimo por um T Mil

já aparecem as primeiras andorinhas. Alegremo-nos

7 comentários:

João de Castro Nunes disse...

Pegando ao pálio:

Meu amor é tão profundo
que aluguei casa no céu
por já não caber no mundo,
que parece que encolheu.

JCN

Fausta disse...

A velhice é um T1. Lá isso é.

João de Castro Nunes disse...

Seguramente... acabarás num lar! Nem um T1 terás. JCN

Paulo Feitais disse...

Um T1001!
1000 só não chega...
Há que contar com as noites!

Grande abraço!

:)

João de Castro Nunes disse...

Que subtileza! JCN

Sereia* disse...

Uau!
As Andorihas, Platero!!!

tenho-as nos olhos, tenho-as no coração e na rua onde moro, FELIZMENTE!

:)

platero disse...

Sereia

tive a sensação de ouvir uma ontem ao entardecer junto ao Teatro Garcia de Resende, em Évora.
Pode ser voluntarismo puro

beijinho