O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

AGENDA II


Antes ainda que cheguem as ANDORINHAS, é tempo de podar as árvores

árvores, arbustos - roseiras, similares

Cuidado vital a observar
:
nunca serrar a pernada a que se encostou a escada

comentário de leitor amigo ao post - em outro Bolg
:
aproveitando a onda de entusiasmo (que vai perdendo fulgor)
provocada pela eleição de OBAMA, podemos retomar o grito
:
" Sim, nós podamos"

abraço especial ao comentador

10 comentários:

João de Castro Nunes disse...

Ao meu jeito:


É conselho elementar
a quem se encontra a podar:
nunca encostar a escada
à respectiva pernada.

JCN

João de Castro Nunes disse...

Já que se encontra a podar
com a tesoura na mão
não deixe de aproveitar
para a dieito cortar
tudo quanto seja em vão!

JCN

platero disse...

ao jeito de JCN
:

esta prática da poda
tem muito que se lhe diga
-mais salutar que o Yoga
faz encolher a barriga

e nunca passa de moda
:para se ter boa fruta
ou se carrega na poda
ou fruta é pouca e miúda

com respeitoso abraço

João de Castro Nunes disse...

Sem réplica! JCN

Fausta disse...

Hoje comprei uma tesourinha deprimente. Não sei por que motivo ma venderam... mas posso emprestar...

platero disse...

Não sei por quê

Nem para devolver o meu abraço?

FAUSTA que não seja tonta
esqueça a depressão e lance-se na poda

Fausta disse...

As árvores não merecem.

João de Castro Nunes disse...

Que mal lhe fizeram... as árvores? JCN

Julio Teixeira disse...

Com vossa permissão...

faço aqui uma pequena homenagem à cidade de São Paulo BR...

Porta Paulistana...

Nascida para ser grande entre as grandes já como porta és magnífica!
E só poderias ser a capital paulista, onde vivem todas as raças e culturas, “crescem” e brilham os artistas, e em ti também o país se assenta com solida estrutura.
A tua indústria produz noite e dia, onde a vida de todas as vidas ganha mais vigor e garantia, e as pessoas de todas as partes do mundo em suas terras inimigas, em ti abraçam-se, amigas.
De coração aberto a todos abrigas, onde o pobre se faz rico e o pequeno grande; e ao feio fazes bonito fruto da miscigenação que promoves, para que estes sejam os filhos da geração que tu com grandeza criastes e ao alto da civilização elevas e sobes.
São Paulo que te quero livre, grande, limpa, que te quero respeitada e muito bem governada, e te quero muito bem apascentada alimentando a fome de quem tem fome, alimentado de saber quem de saber tem sede, alimentando o rico, o pobre, porque és rica e acima de tudo porque és nobre.
São Paulo esteio do Brasil, refúgio do imigrante, sonho do pequenino, anseio do retirante, São Paulo da boa herança e de tantos amores; São Paulo da Avenida Paulista de tantos valores, do Ipiranga, da Barra Funda, Praça da Sé, Vila Maria, do Sumaré, da Água Branca, Pompéia, Vila Madalena, do Mercado da Cantareira, do Tucuruvi, de Santo Amaro, São Miguel, Morumbi, Viaduto do Chá, do Teatro Municipal, e de todos os bairros que fazem de ti, São Paulo, Capital...
São Paulo porta do Brasil e de si mesma...
Em seu estilo alma, espírito e corpo maravilhoso, que honra e ostenta com sorriso orgulhoso.
São Paulo de todas as ciências, de todas as almas, de todas as crenças, por todas as vias que se não esgote a água doce com que à sede de todos sacias.
São Paulo de tantas tristezas e alegrias... São Paulo de todos os “Santos” e dos Paulistanos, parabéns pelos teus quatrocentos e cinqüenta e seis anos!

platero disse...

Associo-me ao júbilo de tão linda idade de S. Paulo:
450 anos

- parabéns à Menina