O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sábado, 9 de janeiro de 2010

manuel alegre um serpentino?

'acha que portugal tem futuro?

se achasse que não tinha, fazia 'qualquer coisa de louco e heroíco' como diria o manuel da fonseca! ou mandava tocar 'a marcha almadanin' ou fazia uma revolução. 'portugal é o futuro do passado' disse pessoa. claro que tem futuro! vi lula em copenhaga a falar português e a falar português e a citar o padre antónio vieira: se calhar o quinto império é o império cultural e da língua. essa é a força de portugal.

manuel alegre, entrevista ao jornal expresso

e eu baal aproveito para homenagear manuel da fonseca

'para eu contar isto
é que conheço todas as horas que fazem um dia de domingo!
à hora negra das noites frias e longas
sei duma hora numa escada
onde uma velha põe sua neta
e vem sorrir aos homens que passam!
e a costureirinha mais honesta que eu namorei
vendeu a virgindade num domingo
- porque é o dia em que estão fechadas as casas de penhores!

há mais amargura nisto
que em toda a história das guerras.

partindo deste princípio,
que os economistas desconhecem ou fingem desconhecer,
eu podia destruir esta civilização capitalista que inventou o domingo.
e esta era uma das coisas mais belas
que um homem podia fazer na vida.'

manuel da fonseca

4 comentários:

Isabel Santiago disse...

Viva o Manuel da Fonseca...tão esquecido...ao lê-lo não pude deixar de recordar o meu antigo aluno que descobriu a beleza nos textos e a sua capacidade de escrever ao lê-lo...a emoção dele foi tão bela, mas tão bela que chorámos os dois no Centro de Recursos da escola, onde, creio, ele aprendeu a construir metáforas. Podem falir os bancos, mas não podem falir uma alma, a alma da Língua que está na literatura, na simples, na pura, na que emerge de uma vonatde ligada à terra e aos elementos e com eles compete em capacidade de instituir obra, a natural e a sobrenatural. Lado a lado, em vórtices de beleza a chamar os nossos nomes sem nome...

Agradeço Baal todas as evocações!

baal disse...

manuel da fonseca sempre me transmitiu uma imensa tristeza.. porque sabia quanto injusto é o mundo. mas ao mesmo tempo uma imensa esperança emerge da sua escrita. o mesmo digo da sua.
obrigado isabel.

Isabel disse...

Baal gosto amis quando me tratas por tu!

Já sei, já sei...os meus textos podem determinar sair de casa e ir para os copos ou ficar em casa...espero que tenhas escrito isso a brincar...

Um imenso sorriso para o leitor magnífico que és dos filósofos e dos outros escritores, não de mim!Que nada sou. Por isso a luta com eles. Luta, sempre! Suave que não sei mais do que umas palavras...

baal disse...

certo. de quando em quando não percebemos o mundo e os copos ajudam e são uma fonte de conhecimento.mas não comparáveis à tua escrita isabel (sei que não é bonito repetir elogios, mas...) aliás nunca esqueço o '1º dia do sérgio godinho'.
uma excelente noite isabel (nome de irmã) e hoje vou ler, reler, imagina quem... musil.