O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


terça-feira, 29 de junho de 2010

Nada é o bastante
-----
na matemática dos loucos 2 + 2 = Àrvore
-----
qualquer rio tem horas que é mar
-----
na cabeça o chapéu, na mão uma luva, no nariz os óculos, e na boca as palavras
-----
para quando homens a emergir da terra com o aspecto de uma acácia?
-----
quando pensas que pensas, um grito abre um caminho em dois
-----
deixa que o azul te condene
-----
para sempre filhos de pais que foram filhos de pais
-----
é inútil falar-se de utilidade em tempos de aves
-----
até quando o sol quiser
-----
pega num copo pela asa, e voa
-----
aclara a água nocturna com pequenos grandes poemas, opera o corpo com linhas musicais e torna-te Daniel Faria
-----
aqui andamos, aqui vamos nós ao nosso encontro
------
invísivel é a costela que nos pariu!
-----

1 comentário:

Rui Miguel Félix disse...

Surreal...
é um elogio meu caro.

2+2=árvore, lindo!
Tal qual uma pintura.

Gostei muito.

um abraço