O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 6 de junho de 2010

"É por gula que os homens recusam a razão e portanto o direito de viver aos animais"

"É por gula que os homens recusam a razão e portanto o direito de viver aos animais: narcisismo humano, "soberba", philautia ou mau amor de si mesmo, explicável pela pléonexia, a avidez, o desejo injusto de se estender sobre os direitos de outrem, na ocorrência o desejo de comer sempre mais, em detrimento de outras vidas"

- Elisabeth de Fontenay, La raison du plus fort [resumindo o pensamento de Plutarco].

1 comentário:

saudadesdofuturo disse...

Lamentável que assim procedam alguns humanos, relativamente a outros humanos e outros seres viventes. A gula de tudo fazer para alimentar a sua avidez e insasiável imagem de si mesmos, recusando os direitos dos outros, que consideram mais frágeis, é o que tem sido a origem deste mundo louco em que vivemos.

A gula alimenta muita a injustiça e o desamor. Tem sido a causa de todos os regimes em que predomina a "lei do mais forte".

Um abraço, Paulo.