O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 14 de setembro de 2009

simetria canina

5 comentários:

platero disse...

Cachorro desfocado?
Resulta bem.
Monumento digital?
Soantes diz: e tal?

abraço

Damien disse...

Meu caro F.,
Por momentos imaginei, envoltos em lindo celofane, para uma qualquer mostra canina, certas tão geminadas figurinhas de pacotilha desta nossa sociedade tão cinicamente rosnante.

Seja como for, o teu trabalho respira outro "bafo" e solta outros mais meigos latidos no meu olhar.

Abraço, meu amigo!

Paulo Feitais disse...

Gosto destas experiências que surrealizam o real, ou que o mostram como tal, como algo de inesgotável se o encararmos com olhos de menino. Os únicos olhos que sabem que não têm que saber ver.
:)

saudadesdofuturo disse...

Soantes,

Não me digas que já te rendeste à "filosofia canina"? (risos)
Tens cão? o cão tem-te?

Hum! Parece-me que vai haver "cachorro desfocado" ou costela "deslocada"?!

Simetrias também para ti...:)

A foto está gira. Como se chama a canina criatura?

soantes disse...

inhõ