O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sexta-feira, 25 de setembro de 2009

LUA




"A feiticeira de olhar de prata,
cansada da tranquilidade de fronteiras e de acampamentos,
largou as pedrinhas que ficaram das pedras.

E se exilou para lá dos sonhos,
aí em sua libata de nuvens brancas.

E envolta em panos de bruma,
enrola linhas de horizonte em grossos novelos
que, por tardes de chuva desdobra pelo céu alto,
em longos arco-íris.

A feiticeira de olhar de prata me aguarda,
encoberta em mosquiteiro de brisa,
na sua funda alcova de luas e de estrelas.

Devagar de lágrimas e sol
ela vai tecendo a renda de meus dias"

"A feiticeira de olhar de prata" de Arlindo Barbeitos
Imagem em www.cm-viana-castelo.pt

3 comentários:

Damien disse...

Gostei de ler:

"Devagar de lágrimas e sol".

Vindo duma feiticeira, dá que pensar...

Anaedera disse...

Sim, Viana é mesmo uma cidade feiticeira, que encanta por quem nela passa.

Sereia* disse...

Que bonito!

De olhar prateado, deixo um sorriso de coração por esta partilha.