O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Sobre os charcos (para Baal)

De como se dá à luz a cor [e cor à luz]

Actividades das plantas simples



Imagem de Joana Cerda


Algas: formas simples e primitivas de plantas, marinhas, de água doce e, mesmo não aquáticas, dotadas de clorofila. os teus Fazem fotossíntese. O nosso sexo é um tipo de algas, da família da Espirogira. os teus olhos Embora prolifere abundantemente na água estagnada dos charcos, não se desenvolve bem nos frascos de cultura, os teus olhos não em razão de algum requisito particular que até agora tem escapado aos cientistas que a estudam. E são as Cyanophyta, algas azuis e verdes que dão a cor aos teus olhos. Através da foto os teus olhos não são síntese frágil.


in Tratado de Botânica, 2006, Quasi.

14 comentários:

platero disse...

e qual o papel aqui
da
fotosedução

?
Gostei

Joana Serrado disse...

eu só me dedico (e é quando é) `a fotossíntese. (e deveria dedicar-me mais `a foto-tese...)

Sereia* disse...

Joana,
queria agradecer o facto de ter trazido aqui uma leitura sobre algas. Não são fáceis de encontrar palavras assim. Obrigada!
Não conhecia o texto e fiquei curiosa por ler esse Tratado*

Joana Serrado disse...

obrigada sereia. esse é o seu reino. mande-me um mail q eu envio-lhe o tratado. Um abraço J
(tratadodebotanica™gmail.com

Paulo Feitais disse...

Fabuloso! Gosto desta síntese primordial - o verde é para mim uma cor de eleição - e até um charco pode ser um paraíso... :)

Adama disse...

Belo!

Umas letras para ti com um abraço igual ao teu

http://www.youtube.com/watch?v=CKnH49e7Qas


"Your love is like a chunk of gold
Hard to get and hard to hold
Like a rose that’s soft to touch
Love has thorns, they hurt so much
Oh why, why
Must the same love made me laugh make me cry ?
Well, you think of love as sitting on a mountain
You think of it being a great big rock
Won’t you think before you start rolling down
Because once you start, you can’t make a stop
I’ve given all that I’ve got to give
And if you don’t want me, I don’t want to live
So why, why
Must the same love made me laugh make me cry ?
Must the same love made me laugh make me cry ?
Must the same love made me laugh make me cry ?"

João de Castro Nunes disse...

Pode... mas não é! JCN

baal disse...

o charco é muito mais a vida primordial, que a lama alquímica.
como é que adivinhou a cor dos meus olhos?
bom, vou dedicar-me á foto-tese 'also'
esta dos olhos é um bocado 'parva' mas verdadeira.
gostei do tratado e acho que fiquei tratado.

João de Castro Nunes disse...

O meu "charco", em oontraponto às "silentes águas paradas", teve sucesso!... Como não?!... Que disputa para um lugarzinho no charco! Não se atropelem: chega par todos! O "paraíso vos espera, com muitos répteis à mistura. Quem disse que o verde é a cor da sinistralidade?... E logo havia de ser escolhido para a bandeira das quinas, em substituição do branco e azul, que são as cores primordiais... da nacionalidade! Lembram-se de cada coisa! JCN

Joana Serrado disse...

obrigada Adama (Amada?) por aparecer. Estou ansiosa por ver e ouvir a musica. Quanto ao Baal, sim essa dos olhos é um bocado parvo (aliás, o Baal também não pode ficar imune `a parvoíce), e fico feliz por já estar tratado na sua foto-tese (eu ando mais na foto-antítese). Ao nosso amigo João Castro Nunes, enfim, não tenho argumentação, mas obrigada por defender o verde, seja ele o que for. Só o Paulo Feitais é que sai mais pobre, leva apenas um beijinho.

Paulo Feitais disse...

E como é que um beijo me poderia deixar menos rico? Se me deixa sair mais pobre, mais rico fico! :)
O bom é não confundirmos o paraíso com um charco. Se onde for, ou o que for o paraíso...
:)

baal disse...

o charco são as nossas lágrimas contra esta sociedade. por isso é sempre o paraíso.
á luta

João de Castro Nunes disse...

Que bom raciocínio!... Acho que vou preferir... o inferno! JCN

João de Castro Nunes disse...

Acaso vossemecê, sr. BAAAL, não pertence também... a esta sociedade?!... JCN