O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Foi para lidar com esta "pandilha", Prof. Paulo Borges, que você me convidou?!...

JOÃO DE CASTRO NUNES

13 comentários:

Joana Serrado disse...

Oh amigo conimbricense Joao Castro Nunes. Nao se enerve. O Prof. Paulo Borges é realmente uma pessoa estranha, rodeada por estranhezas ainda maiores, bicharada, bestas (nas quais oviamente me incluo).

Cada um tem a sua forma de expressão, e se formamos uma pandilha, significa ao menos que somos todos tão diferentes. Nos nossos jardins não há lugares para narcisos.

Não se ofenda, o que nós queremos é ladrar, miar, latejar, uivar, gemer contra (e a favor) dos ventos, urinando, defecando, outras vezes expelindo seja que humores/ amores possíveis, e, especialmente, impossiveis.

Não se enerve. Vou-lhe fazer uma massagem nas suas vertebras, com aromas conimbricenses (inéditos).

Um abraço,

Joana

Paulo Borges disse...

Caro Prof. João Castro Nunes, não posso deixar de recordar que foi o senhor que me pediu que o convidasse...

baal disse...

jcn vai dar banho ao cão, porque pandilha devem ser os teus pelos quais 'navegavas' como um bom fascista. ah... já agora se não tiveres cão compra um, que é como quem diz, vai chatear outro, vai bater a outra porta e de 'padilha estamos conversados, porque os teus sonetos, de tão maus que são deviam ser acompanhados à pandeireta.

João de Castro Nunes disse...

Afinal, senhor BAAAL, ainda não foi desta... que se viu livre de mim, nem tão-pouco dos meus sonetos... que não estão ao seu alcance. Compre vossemecê um cão... para o guardar das bordoadas que tenho desferido, com sentido pedagógico,na sua "imanências" e quejandas. E, j+a agora, compre também... um manual de maneiras civilizadas! JCBN

João de Castro Nunes disse...

Essa do "fascista", senhor BAAAAAL, merecia um valente pontapé no cu. Já pedi ao Prof. Paulo Borges que lho dê por mim. JCN

João de Castro Nunes disse...

Cara Joana Serrado: guarde as suas vertebrais massagens anti-neuróticas... para o resto da pandilha, especialmente... quem mais delas carecer. Vossemecê verá! JCN

Damien disse...

Isto está lindo!
Um mimo!

O Jojó a morder no cão que uiva sonetos, enquanto lava a própria língua com o serrote esfoliante que lhe cortou as pernas da cátedra em que se auto-transpirou em gripanços tardios!

Ass: H1N1

João de Castro Nunes disse...

FERAS À SOLTA!

(Sem destinatário; a quem servir)

Ainda que de boca amordaçada
a minha voz há-de fazer-se ouvir
sem nada haver que a cale, sem que nada
me impeça alguma vez de me exprimir!

Não é qualquer letrado cabotino,
por muit0 catedrático que seja,
que me encosta à parede por cretino
a vitória lhe dando de bandeja!

Atem-me embora as mãos, fechem-me a boca,
em vão conseguirão silenciar-me,
pois sempre lhes darei resposta em troca!

Só não suporto que, de mãos atadas,
tirem partido para desancar-me
como é próprio das bestas despeitadas!

JOÃO DE CAS TRO NUNES

Não vale a pena apagarem, porque já corre em outros blogues: a nódoa fica sempre! JCN

João de Castro Nunes disse...

E com esta... dou o fora pelo portão da frente, só voltando se, entretanto, alguém aguilhoar o meu "génio", de cujo rasto anda à procura o Damião com uma lâmpada na mão. Despeço-me à francesa. JCN

João de Castro Nunes disse...

Já rua, fora do portão:
De um bom serrote precisava vossemecê, senhor DAMIEN, para lhe endireitarem... a espinha dorsal! JCN

João de Castro Nunes disse...

Já na rua, mais à frente, ainda me voltei para trás, a fi frrepetir, em alta voz e com mais força:
"Do que vossemecê precisava, senhor DAMIÃO, era de um bom serrote para lhe endireitarem... a rspinha dorsal"! Endireite-se, homrm! Ponha-se... na vertical! Parece intelectualmente... marreco!
JCN

Brünhild disse...

Isso mesmo, Joana! Adorei esse humor! E um dia, os narcisos, também hão-de aprender a sorrir...

Joana Serrado disse...

Ola Brunhild...estava com saudades tuas. Beijinhos da Kriemhild