O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sábado, 12 de setembro de 2009

A LENDA DOS AMORES DO VENTO E DA LUA

Para frAgMentus

Como se conta em certa lenda, o vento,
soprando sobre a lua, a fecundou
e deste modo foi que ela gerou
quantas estrelas há no firmamento.

O vento, uma por uma, as dispersou
e cada qual, entrando em movimento,
o seu lugar nas trevas ocupou,
mantendo o necessário afastamento.

Cada carícia pelo vento dada
à lua, sua amante, anos a fio,
por um vulcão ficou documentada.

Por isso a lua tem tantas crateras
à superfície do seu corpo em cio
desde essas longas e distantes eras!

JOÃO DE CASTRO NUNES

3 comentários:

luis santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
olivromorreu disse...

Caro JCN, a Frag está sem internet de momento, mas agradece o seu gesto. Abraço.

frAgMentus disse...

o recado ficou bem dado; de facto, JCN, estava sem poder acessar mas logo quis deixar o meu agradecimento, por via do Nuno.

obrgda a ambos
namastê