O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 6 de julho de 2009

Existência é violência

18 comentários:

Violante disse...

Existo, logo violento.

Eu não sou contra a agressão, mas sim contra a violência. Considero todas as formas de agressão preferíveis à violência. Penso que a oposição, a desconfiança e até mesmo a hostilidade em relação à violência não são só justificáveis mas realmente justificadas.
A violência é condenável por razões de ordem moral. Ameaça, maltrata e destrói o nosso próximo, que apresenta características semelhantes às nossas e possui, portanto, em princípio, os mesmos direitos. Privamo-nos a nós mesmos do nosso direito à solidariedade humana quando ultrajamos esse direito em relação ao nosso semelhante. A violência transforma-o em objecto e meio, ofende-o, rebaixa-o e submete-o a todas as formas de desumanidade, acabando finalmente por o conduzir ao seu aniquilamento irremediável. Redu-lo, numa palavra, a esse objecto chamado cadáver.

É o que penso.

Animal feroz disse...

A violência é uma estratégia medíocre.

TóTó disse...

A violência é não participar no sentimento dos outros. É produto de preguiça espiritual.

TóTó pensou mais e disse...

A violência é uma brutalidade. Existir é uma brutalidade.

Animal feroz rectificou e disse...

A violência é uma estratégia medíocre porque acredito mais no aniquilamento.

Homo Brutalis disse...

Estamos tão embotados que se tornam necessários actos de brutalidade dramáticos para nos sobressaltarem e nos arrancarem da pretensa impotência e surda indiferença.

doméstica disse...

A violência é uma rotina. A rotina é uma violência.

monge budista disse...

Protesto contra a guerra. Queimo-me.

Hitler disse...

Glorifico-te, homem de coração de ferro!

Assassino em série disse...

Sou contra a humanidade e estou plenamente consciente dos meus actos, mas tive uma infância infeliz. Desculpem.

errudito disse...

A minha opinião é que o comportamento humano é o resultado de uma aprendizagem.

Nascer disse...

Despertar no corpo o grito que o faz ser!

Anónima mente disse...

Viver: juntar os cacos da explosão!

Nada disse...

O vazio é violento.

conclusão disse...

Logo, o Mestre é violento.

observadora disse...

vi-o lento! Suave como uma brisa.

Violência é ... e disse...

As aulas de "O vil lente".

Madalena disse...

Existência é violência? Não necessariamente.