O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quarta-feira, 15 de julho de 2009

São as experiências não passíveis de memória que nos relembram o Imemorável.

6 comentários:

Paulo Borges disse...

A mais funda experiência é sempre única e imemorável. É um perigo e uma viagem, como indica a etimologia de "experiência", pelo menos em alemão.

Isabel Santiago disse...

Que se cumpra esse caminho, esse caminhar com os pés, ao que não tem retorno. A memória não nos devolve, contra o que se pensa, ao que volta, deve devolver-nos aquele não-lugar de que não mais voltaremos. Um bom nome para a morada adeqada a certa almas seria, "Imemorial do Convento".

Paulo Feitais disse...

Luiza...
Se conseguirmos viver, nem que seja por alguns momentos, num completo estado de abandono, tudo se enche de não-significado, nada é significante, tudo é, na sua imponderabilidade, significativo.
A memória-caverna tal como é pensada por Santo Agostinho, o labirinto do ensimesmamento, pensado talvez a partir da experiência das catacumbas, é um dos "sítios" das neuroses com que o homem ocidental foi preenchendo a sua distância a si, o seu distanciamento em relação ao que nada dista de nada.
:)

ameaçadora disse...

Seja.
:)

Luiza Dunas disse...

Não tenho tido palavras para vos dar. Escuto-vos, muito grata por por vossa beleza e companhia.

Tenham um dia feliz, meus Caros.

Anónimo disse...

Cheira-me que vais para a praia e o campo...