O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


segunda-feira, 13 de julho de 2009

Os Mortos

Na ambígua intimidade
que nos concedem
podemos andar nus
diante de seus retratos.
Não reprovam nem sorriem
como se neles a nudez fosse maior.

Carlos Drummond de Andrade
(De Lição de Coisas)

16 comentários:

Rui Miguel Félix disse...

Bela lição.

Grato Liliana, um abraço.

Paulo Borges disse...

Magnífico. Quão mortos andamos por não sermos assim tão nus...

saudadesdofuturo disse...

É bem verdade! "Quão mortos andamos..." por andarmos vestidos e não sabermos da nudez que os mortos em si mesmos guardam... e por nos cobrirmos da "armadura" do ego que pesa sobre nós!

Obrigada pela reflexão.
Abraço aos três.

Kunzang Dorje disse...

Bonito:)
Que grande experiência, a morte...
Grato.

desconfiada e insegura disse...

Eu gostava de saber por que razão nunca elogiam os poemas que faço, se elogiam tudo e mais alguma coisa... Eu acho que são maravilhosos, magníficos, dão belas lições e possibilitam reflexões extraordinárias. E são grandes experiências para vós.
Não percebo o silêncio. Será que é porque "dizê-lo é perdê-lo"?

Gratómetro - 0,0%

morta de sono disse...

hoje, só hoje, prometo, posso dormir vestida?

de mão estendida disse...

ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!

euzinha disse...

única, cintilante e maravilhosa...

vizinha disse...

Não lhe liguem. Ela tem problemas vários.

Zombie disse...

Pede elogios e depois não acredita neles. É doida. Para além da idiotia e da esquizofrenia, tem uma neurose obsessiva e é compulsiva na conduta (não sei se já repararam...) que se traduz de forma hostil, temível e perigosa e diz frases grosseiras. E dorme vestida (de todos os comportamentos, este é o pior).

cheguei agora e disse...

estão a falar de quem? O que é uma frase grosseira? Tem letras GORDAS?

Sim, dormir vestida é um comportamento reprovável, vou chamar a ASAE.

mortadela disse...

Zomba o zombie da vida
Suspenso no susto de ser
Nem a morte dá guarida
Ao que se obriga a viver.

ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!ELOGIO!

lição disse...

Perfeito. Espero que entendam o que é um elogio.

Liliana Jasmim disse...

Quão mortos andamos...

às vezes encontro corpos vestidos, que nos olhos trazem o vazio - dir-se-iam corpos entregues ao não-viver.

A armadura que nos reveste é o metal, o aço que não deixa o corpo respirar. Quando nus, lado a lado com a liberdade, de passos no soalho abrindo espaço para a sensação.

Sensação, tudo é sensação - diria talvez o Pessoa.

Rui Miguel Félix disse...

Uma sugestão visual à lição de Drummond Aqui

Um abraço Liliana.

Liliana Jasmim disse...

Obrigada Rui,

foi um agradável 'acompanhamento visual' ainda que, um pouco inquietante.

:)

Boa tarde e gracias pela partilha*