O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sexta-feira, 31 de julho de 2009

Queres salvar-te? Salva o outro

20 comentários:

Anónimo disse...

Qual outro? Vês aqui alguém?

parasensorial disse...

Os doentes, os pobres, os maus, os que sofrem.

parasensorial disse...

É bom ter consciência do mal que se faz "por palavras, actos ou omissões". Penso que a expiação desse mal ou pecado, como lhe queiras chamar, só ocorre fazendo o bem. Que maior bem existe do que ajudar/salvar os outros?

parapara disse...

Dá cá o espelho que eu salvo-te.

parasensorial disse...

E é como se diz, nunca é tarde para começar.

relógio disse...

É tarde. É tão tarde.

parasensorial disse...

Nem às portas da morte é tarde para salvar alguém.

agarrada à porta disse...

A salvação não é possível.

parasensorial disse...

É. Basta que acendas uma luz que alumia a escuridão dessa pessoa. Já a salvaste.

na escuridão disse...

Traduz luz.

parasensorial disse...

Não sei traduzi bem, mas diria: refúgio.

Um exemplo:

"Santa Unção ou Unção dos enfermos é o sacramento que Jesus deixou para alívio espiritual e também corporal dos cristãos, que se encontram doentes gravemente".

Por isso outra tradução possível é: aquilo que aliviia o sofrimento espiritual e corporal.

parasensorial disse...

Mas imagina o caso da extrema unção. Pode ser o gravemente doente que por um acto ou palavra nesse momento salva o padre, acende nele a luz que não se apaga.

tremeluzindo disse...

Eu sou doida mas não sofro. Que luz haverá para mim?

parasensorial disse...

Se és doida, és luz :)

Anónimo disse...

Salva! Bom almoço.

Anónimo disse...

"FAZ TAMBÉM COMO ELE!"

Segundo Lucas, um doutor da lei
a Cristo perguntou publicamente,
para o comprometer perante a grei,
como é que se vivia eternamente.

Jesus, dando-se conta da intenção,
instou-o a que, de moto pessoal,
dissesse os termos da legislação
que manda amar o próximo em geral.

"Mas... ele é quem?" - Jesus sem responder,
dando-lhe a volta. o fez reconhecer
que foi, dos três, o tal samaritano

que ao desgraçado, a quem fizeram dano,
com desvelo o tratou do ferimento
sem dele ter sequer conhecimento!

JOÃO DE CASTRO NUNES

Socorro! Socorro! disse...

estou a morrer engolido pela Serpente

Kunzang Dorje disse...

Caro Parasensorial e anónimos,
deixo-vos aqui palavras luminosas do Mestre Sogyal Rinpoche acerca da salvação:

" Sei e acredito firmemente que não há necessidade de que alguém morra no ressentimento e na amargura, pois nenhum sofrimento, por muito terrível que seja, será sem significado se for dedicado ao alívio dos males dos outros.
Temos na nossa frente os nobres e exaltantes exemplos dos supremos mestres da compaixão, que, segundo se diz, vivem e morrem na prática do tonglen, e que, durante a vida inteira, até ao último suspiro, tomam para si as dores de todos os seres vivos cada vez que inspiram o ar, e enviam a cura para todo o mundo cada vez que o expiram. A sua compaixão é tão ilimitada e poderosa, dizem os ensinamentos, que o momento da morte os transporta imediatamente para um renascimento num reino de Budas."
Saúde!

Sogyal Rinpoche disse...

Iluminação nominal. Holofotes!

Anónimo disse...

Reciprocamente!