O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


quinta-feira, 16 de julho de 2009

Inconsciente do preciso instante do nascer e do morrer, do adormecer e do acordar, passas como sombra errante, inconsciente de tudo

48 comentários:

Nuno Maltez disse...

sou limitado no tempo. tenho um princípio e um fim muito precisos. posso imaginar a eternidade, mas poderei senti-la?

Interrogativo disse...

Como sabes que tens um princípio e fim muito precisos? Viste-te a nascer? Viste-te a morrer?

aurora disse...

A Vida é um contínuo. Só temos de aprender a estar sempre despertos.

Nuno Maltez disse...

não vi. mas sei que nasci e sei que morrerei. se sou antes e depois disso não sei. conheces algo sem princípio nem fim no tempo?

Anónimo disse...

sim, o tempo

Nuno Maltez disse...

sim mas o tempo não é corpóreo ou é? as pessoas são corpóreas por evidência.

raborgento disse...

A frase cor de laranja refere-se a este teu monólogo?

"Nunca existi. Dissimulo-o no inteiro universo. O inteiro universo é o disfarce da minha ausência."

"Vendo bem, não há nada a ver."

"Estar no mundo mas não lhe pertencer. Não lhe pertencer, mas estar no mundo."

(.......)

Rosa disse...

Andas a ler coisas estranhas...

Rosa disse...

O que é a evidência, Nuno?

Nuno Maltez disse...

na maioria dos casos, ver, tocar, cheirar, compreender, etc.

Rosa disse...

Isso é ver, tocar, cheirar, compreender, não é evidência.

Nuno Maltez disse...

tudo bem. o que é evidência?

vidente disse...

Evidência é ver por cima, o que torna tudo verdade, não é?
Claro que é isso mesmo! Nunca duvides do que pensas.

Rosa disse...

Talvez o que se experimenta sem se definir, o que não precisa que se diga o que é...

Nuno Maltez disse...

claro mas de algum modo tens consciência do que experimentas. ou vês, ou tocas, ou pensas, etc.

Kunzang Dorje disse...

Amigos, encontrei n'O Livro Tibetano da Vida e da Morte uma passagem que vos poderá interessar sobre o momento quando se tem consciência de tudo:

"Dudjom Rinpoche diz: «Nesse momento, é como se tirássemos um capuz da cabeça.Que espaço ilimitado e que alívio! É a visão suprema, em que vemos o que não podíamos ver anteriormente.» Quando isto ocorre, tudo se abre, expande e torna nítido e claro, fervilhante de vida, repleto de maravilhas e frescura, é como se, de repente, a nossa mente deixasse de ter um tecto, ou como se um bando de aves levantasse voo do seu ninho sombrio. Todas as limitações se dissolvem e desaparecem e é, dizem os Tibetanos, como se tivesse sido quebrado um selo."

Nuno Maltez disse...

texto belo caro Kunzang mas que é tudo senão conjunto de todas as coisas? disso não posso ter consciência.

tempo porcóreo disse...

Mas que DomJuan terrível! Sombra errante consciente de tudo e de todos os conjuntos do nascer e do morrer.

Emaho! disse...

Emaho! A consciência desperta não começa nem finda e está sempre presente!

Anónimo disse...

É aquela máquina. Enquanto se espera pelos ausentes, visita-se o cemitério...

Nuno Maltez disse...

tempo porcóreo mas é precisamente isso que estou a dizer, o tudo não existe mas apenas as coisas particulares. e é impossível estar consciente de todas as coisas particulares.

Nuno Maltez disse...

logo essa pretensa consciência de tudo não passa de uma pretensão.

in consciência disse...

É impossível estar consciente das coisas particulares dos outros. Ainda bem que assim é.

A beleza reside em não se pretender nada.

Anónimo disse...

Primeiro tirem o capuz e depois falem.

baal disse...

aurora, por este andar ainda faço de ti um entardecer

aurora disse...

Por quê?

Espectro disse...

"A infância persegue a velhice, a aurora persegue a noite. Persegue a noite e há-de alcançá-la e dissolver-lhe todas as sombras; e a noite será dia! Também a infância há-de alcançar o pobre tolo; e o pobre tolo há-de ser, outra vez, um anjo."

sombra errante disse...

A "luz" é um "som negativo"?

arlequim disse...

A pergunta é séria, não estou a gozar.

baal disse...

dedico-te
'lá vai a menina aurora, toda gingona a navegar, vai aproar a petita às petingas para o jantar'

duas traineiras, petinga = sardinha

rebocada disse...

Olha, informo-te que estou aqui para aprender e não acho bem esses tons sarcásticos quando do fundo da alma, finalmente emerge uma questão pertinente, a qual eu gostaria de ver respondida, perceves?
Estou a descobrir que tenho consciência e isso angustia-me. E vocês, em vez de andarem por aí de máquina fotográfica ao pescoço a fotografar a ignorância alheia como método de estudo da estupidez de quem se agarra à vida, deviam ter a seriedade de revelar que há outra vida possível e mostrar o caminho da fé e da esperança.
Não é a falar constantemente em traineiras e seus conteúdos piscatórios que se fazem sermões aos peixes. Ainda por cima, petingas e sardinhas quando o mar está cheio de especiarias.Esta forma de diálogo leva ao desespero, a más relações com o próximo e à desistência da procura da submissão na oração. Espero que tenham compreendido que aqui há sofrimento e que pode ser minorado e até evitado se se tornarem infinitamente pequenos e responderem às minhas questões.

sem os dois lados disse...

Nuno Maltez, o que é evidente é a superfície onde sempre patina o diabólico, o mundo sensível. Não dá para acreditar em superfícies que por si só se esgotam. O que é finito está eternamente morto e seca enrolado na própria esterilidade feita de temporalidades e pretensas convicções.
Por outro lado, o pulso do que não existe, toma-se pelo que existe. Não há outra hipótese de sentir as pulsações... Precisa-se da superfície, o que é aterrador.
Prefiro ser sombra errante.

Anónimo disse...

rebocador disse, muito bem. muitos gostam dos peixes 'betinhos' (salmonetes, linguados, percebes), mas nós gostamos é da sardinha a saltar vivinha. há mais filosofia numa sardinha a pingar no pão, do que em toda a obra kantiana.
(sardinhas ao pequeno almoço é muito bom, com um tinto.)
respondi? caso contrário encontramo-nos no portinho da arrábida para comer sardinhas e contemplar o mundo.

navalheira disse...

PARGO!

Anónimo disse...

branco ou mulato?

peixe morto disse...

barranco

aurora disse...

Lord Baal

Grata pela sua brejeirice tardia.

Não sou muito dada às petingas (mais uma vegetariana, viva o PPA!Precisariamos de um partido dos animais para defender os animais?), mas certamente que navego gingona e que suspiro por traineirar por aí!Ao amanhecer e ao entardecer.

baal disse...

aurora celeste, os peixes não são animais sencientes por isso podemos comê-los, tal como às lagostas e ao caviar (só para alguns) peter singer dixit

Paulo Borges disse...

Peter Singer diz o contrário disso! Já viram uma lagosta a ser cozida viva e a tentar fugir da panela?... Não deturpemos para agradar ao estômago.

baal disse...

o contrário? não é arbritário sustentar que a vida de um ser consciente de sí de si, capaz de pensamento abstracto, de planear o futuro ou de comunicar de forma abstracta é mais valiosa do que a vida de um ser desprovido destas capacidades. p. singer
sobre o assunto ver críticas regan a p. singer., confirmar ecossistemas.

confirmar igualmente great ape project e ligação mamiferos senciência.

Paulo Borges disse...

Singer nunca disse que os peixes e os crustráceos não são sencientes. Pelo contrário: deixou-os de comer por causa disso. É disso que falo, não das várias formas de ser senciente.

Alimárias, disse...

Livro Ti Betano da Vida e da Morte, o tanas! Basta-vos um de culinária!

baal disse...

penso como singer que existem graus de senciência,também de sofrimento. coma na vida humana. infelizmente

aurora disse...

Sugiro que nos fiquemos pelos petiscos e entradas tipo um copo de três, ou cinco ou mais, e tremoços. Se a fome apertar, frutos secos e claro, batatas fritas!!

Sim a dor é um factor cósmico. Mas cantemos, amigo, cantemos!

baal disse...

aurora em tempos que não os teus, cálculo. dizia-se que os tremoços erm o 'marisco do eusébio'. vida complicada. fiquemos pelos copos de três. saúde.

raladinha de todo disse...

Percebi à primeira. Não te esforces. Azar o teu. Cantemos!

Anónimo disse...

Essência e forma e a forma só reveste...
Mas revestindo expressa a essência
limitando-a ao tempo...
mas não deixa de ser essência.
Caso se a entenda como consciência...
E não baunilha ou chocolate...

Gratuitamente disse...

A ironia é formativa.