O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


sexta-feira, 5 de março de 2010

tempos novos. novos tempos

a luta está na rua. e renasce onde tudo começou (com a filosofia). na grécia. sigamos o exemplo. criemos um mundo novo.

à luta camaradas.

3 comentários:

Magno Jardim disse...

Valete frates

João de Castro Nunes disse...

Deixa-te de valetes, pá! Vamos a reis! Não acertas uma, carago! JCN

João de Castro Nunes disse...

Ó pá! já viste aquela do Feitais sobre a Fé?!... É de partir o coco a rir, sobretudo quando se espraia sobre a velhice, de que sempre zombou... quando de mim se tratava. Pela boca morre o peixe, carago! Nunca digas "desta água não beberei". O tipo nem sequer a coragem... de abrir espaço para comentários. "Porra, senhor abade!". Hilariante. Que dirá agora a jarrona professora de português?.... JCN