O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 7 de março de 2010

assim é...

para o jcn, para a fausta.

'atracção e repulsa manifestavam-se como um estranho feitiço. (...) serpentes, laços, viscosidades: era isso a vida. as pontas dos dedos mergulharam na torrente da música. pelo leito de água da música deslizavam serpentes e laços.'

r. musil

vão dar música a outro.

9 comentários:

João de Castro Nunes disse...

Por mim... asim farei, meu caro senhor BAAl! Não me falta quem goste. Não chego para as encomendas. Quanto à Fausta, ela dirá, pois treta não lhe falta. JCN

Fausta disse...

Ó baal não fiques ciumento. Sabes, a música que dou é também a pensar em ti.

baal disse...

foi só para tentar animar. isto está a ficar muito budista. ( é verdade que é a origem). vamos para o 'ferrolho'?

Fausta disse...

Se abrir os comentários, juras que comes a papa?

baal disse...

nem pensar. faltam-me alguns dentes mas tenho 'esquelética'. não tenho esqueletos.

Fausta disse...

dantes falavas tão bem. por que te deixaste contagiar?

Fausta disse...

será por seres proletário?

baal disse...

é por ser proletário e também pelo cansaço. é sempre a mesma coisa, trabalhamos que nem cães e os burgueses é que gozam.

baal disse...

entristeces-me fausta. gostas mais quando sou um 'betinho'.

porta-te bem.