O CAMINHO DA SERPENTE

"Reconhecer a verdade como verdade, e ao mesmo tempo como erro; viver os contrários, não os aceitando; sentir tudo de todas as maneiras, e não ser nada, no fim, senão o entendimento de tudo [...]".

"Ela atravessa todos os mistérios e não chega a conhecer nenhum, pois lhes conhece a ilusão e a lei. Assume formas com que, e em que, se nega, porque, como passa sem rasto recto, pode deixar o que foi, visto que verdadeiramente o não foi. Deixa a Cobra do Éden como pele largada, as formas que assume não são mais que peles que larga.
E quando, sem ter tido caminho, chega a Deus, ela, como não teve caminho, passa para além de Deus, pois chegou ali de fora"

- Fernando Pessoa, O Caminho da Serpente

Saúde, Irmãos ! É a Hora !


domingo, 7 de março de 2010

MIRAGEM ?

o mosquito minúsculo
que passa
em frente dos meus olhos

vejo-o águia
do outro lado da janela

6 comentários:

João de Castro Nunes disse...

É caso para dizer
que tudo muda à distância
ou conforme a circunstância
em que a pessoa estiver!

JCN

Paulo Feitais disse...

:) A águia é um mosquito. Para quem é do Sporting. Enfim...
Um grande abraço!

platero disse...

Ó Paulo,

essa eu não esperava
Eu que até, por defeito de informação, acabei por cair no Belenenses, francamente
Comecei por ter dúvidas se o que via do mosquito era Águia ou Cegonha. Se fosse agora, teria me decidido pela segunda

abraço

platero disse...

Caro de Castro Nunes

grato pela leitura iniludivelmente poética do meu simulacro de poema.

a sério, o senhor é uma fonte inesgotável de boa poesia.
é pena que saber isso não lhe baste

nuno disse...

O mosquito minúsculo é infinito.

platero disse...

do tamanho do mundo
fácil por isso
entrar pela janela